quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Greve interrompe fiscalização na fronteira do Brasil com Paraguai

Os policiais rodoviários federais se juntaram à greve dos policiais federais. A paralisação deixou a fronteira mais movimentada do Brasil praticamente sem nenhuma fiscalização.
Quem chega a Ponte da Amizade, que liga o Brasil ao Paraguai, percebe logo.
“Está realmente com aspecto de abandonado”, diz um motorista.


Confira o video: http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2012/08/greve-interrompe-fiscalizacao-na-fronteira-do-brasil-com-paraguai.html
Fonte: G1.globo.com/Jornal Nacional
Desde segunda (20), ninguém é parado pela polícia para apresentar documentos ou para ter o veículo revistado. Não há policiais federais nas pistas de entrada e de saída do Brasil. Eles apenas atendem a quem precisa de documentos para entrar ou sair do país.
“Nossos postos estão abandonados não pelo movimento grevista, mas pela própria PF e pelo próprio governo federal”, afirmou Bibiana Orsi do sindicato dos policiais federais.
Os policiais rodoviários federais atendem apenas o que consideram casos de emergência. Segundo eles, é um protesto pela falta de pessoal.
“Nós trabalhamos numa fronteira com essa dimensão com dois policiais. Nós precisaríamos no mínimo de oito policiais”, ressaltou Paulo Mileski, delegado sindical dos policiais rodoviários federais.
Só os dez fiscais da Receita Federal, que normalmente trabalham no local, faziam a fiscalização - por amostragem, que não chega a nem 10% do que passa.
A polícia considera um ponto da fronteira o mais crítico por causa do grande movimento. São 35 mil pessoas indo e vindo todos os dias. Em meio a turistas e moradores da região se escondem traficantes de drogas e de armas, além de contrabandistas e ladrões de carros.
Só em Foz do Iguaçu e em Guaíra, a Polícia Rodoviária Federal recuperou, este ano, 218 carros roubados.
Um casal decidiu fazer plantão na ponte da amizade pra tentar encontrar o carro da família, roubado em Foz do Iguaçu.
“Se o proprietário está aqui ele conhece o carro de longe, ele vai avista o carro de longe e vai, já vai identificá-lo”, disse um homem.
Uma caminhonete, roubada em São Paulo, passou livremente, na segunda, pela Ponte da Amizade. Só foi recuperada porque policiais paraguaios avisaram à Polícia Rodoviária Federal que o motorista não tinha autorização para dirigir no país vizinho.
“Eu acho que a fiscalização deve existir, ficar liberado não é legal”, afirmou um homem.
A Superintendência Regional da PF no Paraná e a Polícia Rodoviária Federal informaram que ao longo dos próximos quatro meses vão aumentar gradativamente o efetivo na fronteira.

Mais informações sobre a greve dos policiais federais no site http://www.sinpefpr.org.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário