quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Governo viabiliza obras para eliminar gargalos rodoviários na Grande Curitiba



Pela primeira vez, o Governo do Estado está promovendo um conjunto de obras para eliminar os principais gargalos de rodovias que ligam a capital a municípios da Região Metropolitana de Curitiba (RMC). São pontos críticos onde o trânsito de veículos afunila, provocando lentidão e congestionamentos.

Até o fim de 2014, serão destinados R$ 420 milhões para a construção de contornos e duplicações de rodovias que cruzam municípios do entorno de Curitiba. As obras servirão para ampliar a capacidade de tráfego e levar mais desenvolvimento para Curitiba e cidades vizinhas.

“Com as rodovias fluindo bem, é possível transportar cargas e chegar às indústrias da região com mais facilidade, diminuir o tempo de viagens, dar mais segurança aos pedestres e evitar acidentes”, diz o governador Beto Richa.

Os contornos rodoviários estão sendo construídos em Campo Largo (BR-277) e Agudos do Sul (entre a PR-281 e PR-419). Na próxima semana, vai começar a duplicação da PR-417 (Rodovia da Uva), entre Curitiba e Colombo.

Em 2014, terão início as duplicações da PR-092 (Rodovia dos Minérios), no trecho entre Curitiba e Rio Branco do Sul; e da PR-415, entre Piraquara e Pinhais.

Também está programada pavimentação da PR-092, entre Cerro Azul e Doutor Ulysses. Neste trecho, a estrada ainda é de terra, isolando o município de Doutor Ulysses da malha rodoviária pavimentada do Estado.

Contorno de Campo Largo vai facilitar transporte de cargas


A obra do Contorno da BR-277 no município de Campo Largo deverá ser concluída no fim deste ano, agilizando o tráfego na principal ligação entre Curitiba e o interior do Estado. Pelo trecho, passam caminhões para o escoamento da produção agrícola e industrial paranaense no Porto de Paranaguá.

O trabalho está sendo feito pela concessionária da rodovia, a CCR Rodonorte. A obra deveria começar apenas em 2017, segundo o contrato de concessão, mas foi antecipada pelo governador Beto Richa. A concessionária investe R$ 70 milhões na implantação de 11 km de nova pista na BR-277, além da construção de duas trincheiras, uma ponte, um viaduto (já entregue) e a ampliação de outros dois viadutos. A construção do contorno está gerando 1.600 empregos diretos e indiretos. Eva de Fátima dos Santos, 39 anos, é servente na obra há dois meses. “Agora tem um grupo de mulheres trabalhando aqui”, explica ela. “A obra, além de aumentar a segurança, é uma oportunidade de serviço para muitas pessoas”.

Edson Souza, 40 anos, é taxista e acredita que o trabalho vai render mais com a construção do contorno. "Vai desafogar um pouco o trânsito de dentro de Campo Largo e também vai ser melhor trabalhar, a gente perde muito tempo nesta parte da BR-277."

Agudos do Sul sem o incômodo dos caminhões

O Departamento de Estradas de Rodagem (DER-PR) já começou as obras de drenagem e de terraplanagem do Contorno de Agudos do Sul. Estão sendo instaladas manilhas ao longo de quase dois quilômetros da rodovia, ligando as PR-281 e PR-419 e desviando o trânsito de caminhões do Centro do município. O investimento é de R$ 1,7 milhão.

Além da drenagem, serão feitas pavimentação asfáltica, terraplenagem e implantação de bueiros e galerias. Serviços complementares também serão executados, como meio-fio, calçada e acabamentos. Serão necessários 150 dias para o término da obra, mas o DER-PR informa que esse prazo dependerá de questões climáticas.

Para a vendedora Daniele Aparecida da Silva, que trabalha em Agudos do Sul, a obra trará diversos benefícios para os moradores e comerciantes. “Os caminhões não vão mais atrapalhar o trânsito e nem o estacionamento de veículos. Também não teremos mais poeira dentro das lojas”, disse Aparecida.

O borracheiro e morador de Agudos do Sul João Carlos Munhoz também acredita que o contorno vai melhorar a economia local. “A nossa clientela vai aumentar com mais estrutura na cidade”, disse Munhoz.

Duplicação da Rodovia da Uva será retomada na próxima semana

O Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR) começará na próxima segunda-feira, 5 de agosto, a duplicação da Rodovia da Uva, a PR-417, em Colombo. O trabalho deverá ficar pronto em dois anos.

Serão investidos R$ 32 milhões, com a construção de mais uma pista, vias marginais, semáforos, ciclovias e calçadas com rampas de acesso.

A duplicação começa no Contorno Norte, na PR-418, e segue até a entrada da cidade. São 6,5 quilômetros de rodovia, por onde passam mais de 16 mil veículos por dia.

O vendedor autônomo Amarildo Tonial conta que a população de Colombo aguarda há dez anos pela duplicação da rodovia. “Precisamos desta obra, não dá mais para andar na rodovia, é muito tráfego de automóvel”, disse ele. “Hoje não tem acostamento, está tudo desarrumado, a expectativa é que fique bonito, que traga mais empresas para a região”.

Parceria viabiliza duplicação da Rodovia dos Minérios

O projeto de duplicação da Rodovia dos Minérios, a PR-092, já está em andamento. A duplicação será feita no trecho entre Curitiba e Rio Branco do Sul e é uma parceria do Governo do Estado com o Grupo Votorantim. As obras deverão começar em maio de 2014.

Nesta primeira etapa, a Votorantim vai elaborar o Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (Evtea) e o projeto executivo da obra. Todo processo é acompanhado por fiscais do Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR). Os estudos ficarão prontos em outubro.

Com a duplicação, serão beneficiadas cerca de 200 mil pessoas, como Levir Andrade, 43 anos, dono de uma oficina mecânica às margens da Rodovia dos Minérios, em Almirante Tamandaré. “A duplicação é prometida há muitos anos, fico feliz que agora vai sair”, disse Levir. “Vai trazer segurança e comodidade.”

Maria de Lurdes Domakoski, 65 anos, conhece bem os problemas da Rodovia dos Minérios. Ela mora há 50 anos no bairro Planta Maria Clara, em Almirante Tamandaré. “Esta rodovia é muito perigosa, principalmente para pessoas idosas e crianças que precisam atravessá-la”, contou ela.

O trabalho na Rodovia dos Minérios vai começar no fim da Avenida Mateus Leme, em Curitiba, e seguirá até a Estrada dos Romeiros, em Itaperuçu. Serão duplicados três quilômetros da rodovia dentro de capital e 19,7 quilômetros do traçado que passa por Almirante Tamandaré e Itaperuçu.

Além disso, a duplicação abrangerá 4,2 quilômetros da Estrada dos Romeiros, e mais 1,5 quilômetro de um trecho de contorno, em Itaperuçu, além do acesso ao pátio da Votorantim. A obra chegará à entrada de Rio Branco do Sul, até o cruzamento ferroviário.

Asfalto até Doutor Ulysses e duplicação entre Pinhais e Piraquara

O Governo do Estado vai concluir até outubro dois importantes projetos executivos de melhorias rodoviárias. A meta é ter em mãos o novo traçado da duplicação entre Pinhais e Piraquara (PR-415) e como ficará a pavimentação entre Cerro Azul e Doutor Ulysses.

Para fazer os projetos, foram investidos mais de R$ 5 milhões na contratação das empresas. A intenção é licitar as obras em 2014. Os investimentos serão de R$ 120 milhões.

O projeto entre Doutor Ulysses, um dos cinco municípios do Paraná que ainda está sem acesso pavimentado, e Cerro Azul prevê a pavimentação de 49 quilômetros, além de obras de drenagem, construção de acostamento e terceira faixas, onde houver necessidade, sinalização e construção de pontes. A previsão é investir cerca de R$ 60 milhões na obra, com o lançamento do edital de concorrência até o início do ano.

PR-415 - As obras de duplicação entre Pinhais e Piraquara deverão começar no primeiro semestre de 2014. O projeto do DER-PR prevê ampliação da circulação entre os dois municípios, por onde passam mais de 25 mil veículos por dia, sendo que 90% são automóveis leves e motos.

No primeiro trecho, entre o Rio Atuba e o Carrefour Pinhais, a proposta é implantar mais uma faixa de circulação nos dois lados da avenida João Leopoldo Jacomel. A nova faixa terá prioridade para os ônibus e será usada para conversões de veículos. Também serão construídas ciclovias, calçadas e passarelas.

O segundo trecho da obra, entre Pinhais até Piraquara, terá seis faixas de circulação. Hoje, são somente duas faixas. O estudo da duplicação também aponta a necessidade de construir pontos de retorno, passarelas, ciclovia, calçadas e uma iluminação central. A estimativa é que a obra custe cerca de R$ 60 milhões.

A PR-415 é utilizada como ligação também ao município de Quatro Barras e ao Contorno Leste de Curitiba, com acessos aos estados de São Paulo e Santa Catarina e ao Litoral do Paraná.

“A duplicação da rodovia João Leopoldo Jacomel, entre Pinhais e Piraquara, foi prometida por outros governadores, mas está sendo cumprida somente nesta administração”, disse o prefeito de Piraquara, Marcus Maurício de Souza Tesserolli. “Desde a sua construção na década de 1970, a rodovia não teve nenhuma ampliação. Hoje o governo estadual torna esta necessidade uma realidade”, destacou o prefeito de Pinhais, Luiz Goulart.

Circulação entre a capital e RMC melhor com obras da Copa

O Governo do Estado também executa obras de mobilidade para a Copa do Mundo de 2014 projetadas para desafogar o tráfego na capital e cidades vizinhas. São elas: a revitalização da Avenida da Integração, que liga Curitiba a Pinhais; a Rua da Pedreira, entre Curitiba e Colombo; a alça da Avenida Salgado Filho e trechos dos corredores Aeroporto-Rodoferroviária (Avenida das Torres) e Marechal Floriano. Os corredores e a alça vão facilitar o acesso ao aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais.

Além destas obras, a Secretaria de Infraestrutura e Logística está ajudando a concessionária Arteris, que tem autorização do governo federal para explorar a BR 116, a rodovia Régis Bittencourt, entre Curitiba e São Paulo.

A empresa estava com dificuldade em conseguir autorizações do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit) para investir R$ 150 milhões no início do contorno entre Quatro Barras e Colombo.

A obra, que vai se interligar ao Contorno Norte, prevê trincheiras e também viadutos e marginais. Com o apoio do Governo do Estado, a concessionária vai poder investir e agilizar o trâmite que estava emperrado no governo federal.

Máquinas na estrada

O que o Governo do Estado está fazendo para melhorar o tráfego em rodovias de Curitiba e Região Metropolitana

Contorno de Agudos do Sul

O que será feito: drenagem, pavimentação asfáltica, terraplenagem e implantação de bueiros e galerias, meio-fio, calçada e acabamentos

Início da obra: julho de 2013

Contorno de Campo Largo

O que será feito: 11 km de nova pista na BR 277, construção de duas trincheiras, uma ponte, um viaduto (já entregue) e a ampliação de outros dois viadutos

Início da obra: novembro de 2011 (lançamento da pedra fundamental)

Duplicação da PR-417/Rodovia da Uva (Curitiba e Colombo)

O que será feito: construção de pistas marginais, ciclovias, novas calçadas com rampas de acesso, além de semáforos e paisagismo.

Início da obra: 5 de agosto

Duplicação da Rodovia dos Minérios (Curitiba e Rio Branco do Sul)

O que será feito: duplicação de três quilômetros da PR-092 dentro de Curitiba e 19,7 quilômetros do trecho que passa por Almirante Tamandaré e Itaperuçu. Obra abrangerá 4,2 quilômetros da Estrada dos Romeiros e 1,5 quilômetro de um trecho de contorno, em Itaperuçu, além do acesso ao pátio da Votorantim.

Conclusão do projeto: início de 2014

Previsão do início da obra: maio de 2014

Duplicação da PR-415 (Pinhais e Piraquara)

O que será feito: no primeiro trecho, duas novas faixas na Avenida João Leopoldo Jacomel, ciclovias, calçadas, passarelas. No segundo trecho, quatro novas faixas de circulação entre Pinhais e Piraquara, calçadas, iluminação central

Conclusão do projeto: outubro

Previsão do início da obra: primeiro semestre de 2014

Pavimentação da PR-092 (Doutor Ulysses e Cerro Azul)

O que será feito: drenagem, pavimentação asfáltica de 49 quilômetros, construção de acostamento e terceiras faixas, sinalização, construção de pontes

Conclusão do projeto: outubro. Previsão de lançamento do edital de concorrência até o início de 2014

Nenhum comentário:

Postar um comentário