terça-feira, 15 de outubro de 2013

Fruet tenta justificar a não redução da passagem de ônibus



Assim que assumiu a Prefeitura Municipal de Curitiba, na segunda semana, Gustavo Fruet autorizou aumento nas tarifas do transporte coletivo. No mês seguinte, pressionado pelos estudantes nas ruas, voltou atrás. Hoje, quando o Tribunal de Contas denuncia que a tarifa está superfaturada, além de monopolizada por uma família, o prefeito não apenas se recusa a reduzir o valor de R$ 2,70 para R$ 2,25 (valor informado pelo Tribunal de Contas), como ainda anuncia um possível aumento para fevereiro.

O prefeito Gustavo Fruet (PDT) repetiu recentemente que só reduz a passagem de ônibus de Curitiba - R$ 2,70 para R$ 2,25 - se houver uma decisão da Justiça. O mesmo diz que à respeito da concessão do sistema de transporte das linhas de ônibus. “Nós temos que respeitar o contrato. O que eu não posso agir de forma irresponsável e deixar depois um passivo para a cidade”, diz o prefeito.

Fruet disse que a tarifa deve aumentar em fevereiro do ano que vem, por conta do reajuste dos salários dos motoristas e cobradores. “Disso tudo, deve ser repassada, pelo menos, a correção da inflação. Esse dinheiro vai sair de algum lugar – ou sai da tarifa, ou sai do imposto sobre a população. Nós temos que ter transparência com relação a esses números”, afirmou. Entretanto, os valores estão superfaturados e a população não é obrigada a engordar os lucros ilegais dos concessionários.

Nenhum comentário:

Postar um comentário