sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Alvaro Dias critica aumento da violência e clima insegurança pública no País



Os dados da criminalidade crescente no Brasil nos últimos anos, que culminam com o espantoso número de 50.108 casos de assassinatos no País apenas em 2012, foram citados pelo senador Alvaro Dias no Plenário, na sessão desta segunda-feira. O senador relatou informações do Anuário Estatístico do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, que mostram que no ano passado os homicídios cresceram 7,6% em relação a 2011. A violência cresce de forma assustadora no País. O total de assassinatos é o maior da série histórica desde 2008, destacou o senador, que citou matéria do jornal Estado de S.Paulo, que obteve com exclusividade os números dos crimes e do sistema carcerário apresentados pelo Anuário, que ainda não foi divulgado oficialmente. Conforme revelado pelo Estadão, os Estados do Norte e Nordeste seguem liderando o ranking de homicídios no Brasil. Alagoas, com 61,8 casos por 100 mil habitantes, com Pará em segundo (44 por 100 mil), seguido por Ceará (42,5), Bahia (40,7) e Sergipe (40). Os dados do Anuário ainda revelam, segundo Alvaro Dias, que as lacunas no sistema de segurança nacional ficam evidentes ao se comparar a situação brasileira com a de outros países do mundo. Ao mesmo tempo em que encarcera demais, o Estado brasileiro não parece conseguir diminuir as taxas de criminalidade. Segundo os dados do Anuário, o Brasil tem atualmente 515.482 presos, o que o coloca em quarto lugar no ranking daqueles com maior população prisional do mundo. Fica atrás apenas dos Estados Unidos (2.239.751), da China (1.640.000) e Rússia (681.600), registrou o senador Alvaro Dias, que pediu atenção dos senadores para os seguintes dados: o Brasil ocupa o 7º lugar entre os países mais violentos do mundo. As mais de 50 mil mortes por homicídios são duas vezes mais do que a média de baixas em um ano de guerra entre Rússia e Chechênia. Os registros de crimes contra o patrimônio também são alarmantes. Em 2012, foram 566.793 casos de roubos, em que os ladrões levaram carros, atacaram bancos, cargas de caminhões, pedestres e casas. Em todo o território nacional, considerando só as ocorrências registradas nas delegacias, foram 1.574 casos de roubo por dia. Sabemos que muitas pessoas não registram nas delegacias assaltos e furtos. Esses números, portanto, não refletem a realidade. A insegurança está amplificada e disseminada por todo o território nacional, lamentou o senador Alvaro Dias, ao concluir o seu discurso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário