terça-feira, 29 de abril de 2014

Parlamentares de Brasília visitam Arena e obras de mobilidade em Curitiba


Integrantes de três Comissões, sendo uma delas a Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo, do Senado Federal, além da Comissão de Esporte e Comissão de Turismo, da Câmara Federal, estiveram em Curitiba nesta segunda-feira (28) realizando uma visita técnica de inspeção.

Os parlamentares visitaram o estádio da Arena, do Clube Atlético Paranaense, além das obras de mobilidade urbana, passando pela Avenida das Torres, Corredor da Marechal Floriano Peixoto e Viaduto Estaiado e, finalizando nas obras do Aeroporto Internacional Afonso Pena, onde assistiram três apresentações, sendo uma sobre a evolução das obras do aeroporto, realizada pelo superintendente da Infraero Antonio Pallu, e outras duas sobre turismo, feita pela presidente da Paraná Turismo Juliana Vosnika e a diretora do Instituto Municipal do Turismo, Cristiane Santos.
A comitiva foi acompanhada pelo coordenador geral da Copa no Paraná, Mario Celso Cunha, que destacou: “Foi uma visita muito importante, pois além de formadores de opinião, os senadores e deputados tem como objetivo fiscalizar obras, prazos, recursos, financiamentos e projetos”. “Este é o décimo estádio, das doze sedes, que a comissão está visitando. Sentimos que a avaliação da sede de Curitiba foi muito positiva, recebendo elogios dos integrantes das três comissões”, concluiu Cunha.
Na Arena do Atlético Paranaense todos ouviram a apresentação de um relatório das obras, por parte do engenheiro Luiz Volpato e do arquiteto Carlos Arcos. “Estamos correndo contra o tempo, mas com certeza vamos entregar a obra na data fixada pela Fifa, e no dia 22 de maio a chave estará nas mãos da operadora Fifa, que terá o controle do período exclusivo”, disse Volpato.
Falando sobre o teto retrátil, o arquiteto Carlos Arcos informou aos parlamentares que “o Atlético já tem pronta toda a estrutura para a colocação do teto retrátil, mas a pedido da Fifa colocará este equipamento somente após a Copa do Mundo”. “Nos próximos dias vamos instalar o equipamento de luzes para garantir a qualidade do gramado. Ele vem do exterior e deve estar chegando no Porto de Paranaguá", afirmou o arquiteto.
O senador Antonio Carlos Valadares, que preside a Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo do Senado, gostou da estrutura que viu na Arena. “Estou certo que o estádio do Atlético está sendo finalizado nos padrões da mais moderna tecnologia. Está ficando muito bonito e o mais importante é que terá uma utilização permanente, além do futebol, com outros eventos e shows. Isto é legado”, concluiu.
O superintendente da Infraero, Antonio Pallu, anunciou que diversos setores do aeroporto já estão com as obras finalizadas, como estacionamento de veículos, novas esteiras, recapeamento da pista principal, terminal de cargas e outros. “Hoje estamos trabalhando na ampliação do terminal de passageiros, além dos novos pontos de embarque e desembarque. Além dos seis em funcionamento, teremos mais dois para a Copa do Mundo, e outros sete para 2016”, informou Pallu.
A presidente da Paraná Turismo, Juliana Vosnika, destacou o número de leitos à disposição dos turistas e os pontos de informações que estarão espalhados pela cidade. “Estamos concluindo um Guia do Turista, com informações em inglês, espanhol e de fácil manuseio”, disse Vosnika, que lembrou também dos pequenos meios de hospedagem. “Este foi um pedido do ministério do Esporte e do próprio COL [Comitê Organizador Local], que nos pediu a garantia destes outros setores de hospedagem. Já levantamos mais de 8 mil leitos em pousadas, campings, motéis, pensões, albergues, Spas, hotéis fazenda e hospedagem familiar”, revelou a presidente da Paraná Turismo.
Também destacando a área do Turismo, a diretora do Instituto Municipal do Turismo, Cristiane Santos, lembrou que “nós teremos em Curitiba oito seleções que irão jogar na Arena, representando os cinco continentes”. “São pessoas falando inglês, espanhol, russo, francês, árabe e até persa”, disse Santos. “Devemos nos preparar com informações bilíngues e tradutores para recebê-los bem”, concluiu a diretora.
Além do senador Valadares, integraram a comitiva os deputados Renato Molling, presidente da Comissão de Esporte e Turismo dão Senado; Rubens Bueno e Danrlei de Deus, ex-goleiro do Grêmio, ambos membros das Comissões de Turismo e Esporte, e o deputado Valadares Filho, que preside a Comissão de Turismo da Câmara Federal. O secretário do Tribunal de Contas da União (TCU), Luiz Gustavo Gomes Andrioli, também esteve presente. O prefeito de Curitiba Gustavo Fruet acompanhou parte da visita, juntamente com o secretário municipal da Copa Reginaldo Cordeiro.
A delegação foi acompanhada pelos assessores do Senado e da Câmara Federal, Francisco Canindé de Oliveira, Rafael Augusto Simões, Estefânia de Castro Diniz, Marcos Rogério, Reinaldo Ferrigno, Moacyr de Oliveira Filho, Sara Reis Silva, Marcos Antonio de Oliveira Feijó e Erasmo Juliano Gomes de Souza. Pela coordenação estadual da Copa acompanhou o assessor Marco Antônio Abdanur, e pelo gabinete do deputado Rubens Bueno, o jornalista André Molina.

Fotos: Antônio Costa / ANPr

Dilma cai mais 6,7 pontos e já não garante 1º turno


A menos de seis meses das eleições, Dilma Rousseff (PT) lidera a disputa pelo Palácio do Planalto, mas já não garante vitória no 1º turno das eleições, segundo pesquisa da CNT, realizada pelo MDA, e divulgada hoje. No cenário com oito candidatos, Dilma tem 36,4% e é seguida por Aécio Neves (PSDB), com 21,2% e Eduardo Campos (PSB), com 11,1%. Os outros cinco candidatos somam 2,1%: Magno Malta (PR), 0,6%; Pastor Everaldo (PSC) 0,4%; Randolfe Rodrigues (PSOL) 0,4%; José Maria Eymael (PSDC) 0,4% e Levy Fidelix (PRTB) 0,3%. Brancos e nulos somam 19,0% e os que não sabem ou não responderam, 10,2%.
No cenário com apenas três candidatos (Dilma, Aécio e Campos), Dilma caiu 6,7 pontos percentuais em relação à pesquisa anterior e tem agora 37% (ante 43,7% em fevereiro). Tanto Aécio quanto Campos registraram aumento nas intenções de voto. O senador tucano tem 21,6% (contra 17% na pesquisa anterior), e Campos, 11,8% (9,9% em fevereiro). O número de brancos e nulos chegou a 20% nesse cenário, e 9,6% dos eleitores não souberam ou não responderam. Neste cenário, nenhum candidato pequeno foi incluído na sondagem.

Segundo turno

Se a disputa chegar ao segundo turno, Dilma venceria o Aécio com 39,2% (em fevereiro tinha 46,6%) contra 29,3% (ante 23,4%). Se a disputa fosse com Campos, Dilma teria 41,3% (em fevereiro, tinha 48,6%) e Campos 24% (tinha 18% em fevereiro). Nesses dois cenários, Dilma diminui a vantagem de Dilma no segundo turno em relação aos dois candidatos em relação à pesquisa anterior, de fevereiro.
No total, foram entrevistadas 2.002 pessoas, em 137 municípios de 24 estados das cinco regiões, entre os dias 20 e 25 de abril. A pesquisa também ouviu a opinião da população a respeito de temas como saúde, segurança pública e custo de vida, além dos programas "Bolsa Família" e "Mais Médicos".
Foram ainda incluídas questões relativas ao caso Petrobras e à aquisição da refinaria de Pasadena, nos EUA. A compra da unidade pela estatal é alvo de investigação pela Polícia Federal e TCU sob suspeita de ter representado prejuízo milionário. No Congresso, a disputa entre a base aliada e a oposição sobre a instalação de uma CPI para apurar as denúncias de irregularidades chegou até o STF.

quinta-feira, 24 de abril de 2014

Policiais federais protestam na sede do PT, em Curitiba


Policiais federais do Paraná se reuniram na manhã desta quarta-feira (23) em frente ao Diretório do Partido dos Trabalhadores (PT) em Curitiba, para entregar um ofício com diversas reivindicações da categoria. Eles iniciaram uma paralisação já na madrugada de ontem, por restruturação de carreira. As informações são da Rádio Banda B.

Segundo o Sindicato dos Policiais Federais no Estado do Paraná (Sinpef-PR), apenas 30% do efetivo manteve as funções. “Essa é mais uma paralisação dos policiais para demonstrar que estamos insatisfeitos com o rumo da polícia em todo país. Estão criando uma elite dentro da Polícia Federal, praticamente duas policias: uma de não policiais, que são os delegados, e outros policiais que trabalham, de fato, na linha de frente das investigações. Hoje (ontem), somente 30% estão à ativa”, disse o presidente Fernando Vicentini.

A paralisação foi nacional e durou 24 horas. Ainda, policiais penduraram faixas e cartazes em frente à sede da PF, no bairro Santa Cândida.

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Troféu da Copa do Mundo chega à Curitiba dia 03 de maio


Após passar por 89 países ao longo de 220 dias e rodar mais de 150 mil quilômetros, o Tour do Troféu da Copa do Mundo da Fifa já chegou ao Brasil, nesta terça-feira (22). O troféu ficará exposto no Rio de Janeiro (RJ), no estádio Maracanã, até o dia 25 de abril.

O troféu fará uma viagem por 27 cidades ao longo de seis semanas, encerrando o tour em São Paulo (SP), cidade-sede do jogo de abertura da Copa 2014.

Segundo o coordenador geral da Copa do Mundo no Paraná, Mario Celso Cunha, “o troféu oficial chega à Curitiba no próximo dia 03 de maio e ficará exposto no Park Shopping Barigui, para visitação pública”.

Conheça o itinerário do Tour do Troféu pelo Brasil

11 a 25 de abril - Rio de Janeiro
26 e 27 de abril - Porto Alegre
28 e 29 de abril - Belo Horizonte
30 de abril e 1 de maio - Salvador
2 de maio - Cuiabá
3 de maio - Curitiba
4 de maio - Florianópolis
6 de maio - Campo Grande
7 de maio - Goiânia
8 de maio - Vitória
9 de maio - Aracaju
10 de maio - Maceió
11 de maio - João Pessoa
13 de maio - São Luis
14 de maio - Palmas
15 de maio - Macapá
16 de maio - Boa Vista
17 de maio - Rio Branco
18 de maio - Porto Velho
19 de maio - Manaus
20 de maio - Belém
21 de maio - Teresina
22 de maio - Natal
23 e 24 de maio - Recife
25 e 26 de maio - Fortaleza
27 e 28 de maio - Brasília
29 de maio a 1 de junho - São Paulo

Foto: Getty Images

Chanceler sueco aos "jornalistas": Grig-ah, bandolo, tchaka - chita, espelhos e colares para vocês


O chanceler sueco Carl Bildt está no Brasil para participar de um encontro sobre a internet.

Como é típico dos chanceleres suecos, falou um monte de bobagem que, lamentavelmente, seus entrevistadores não souberam reagir a altura.

Atacou Dilma e Putin. Putin porque “anexou” a Crimeia. Dilma porque não protestou contra a anexação.

Enfim, tratou os jornalistas como tolos.

E eles perderam a oportunidade de questiona-lo sobre as invasões e ocupações de países soberanos.

Que seus patrões, os EUA, sempre se lixaram para a autodeterminação dos povos e para os protocolos de Kioto.

Nada disse sobre isso e nem lhe foi perguntado.

Não posso afirmar se ele presenteou a mídia da Casa Grande com alguns agrados.

Mas isso não é difícil de saber.

Basta observar os “jornalistas” para ver se eles não andam com colares no pescoço e espelhinhos nos bolsos.

Reparei aqui, da minha janela, um navio sueco entrando no porto.

O que me leva a crer que seus porões estão abarrotados de bugigangas, principalmente colares e espelhos para presentear as elites da Casa Grande e seus porta-vozes.

Pobres vira-latas.

Georges Bourdoukhan

sábado, 19 de abril de 2014

Setor de Inteligência da presidência visita obras da Arena/CAP


Acompanhados pelo coordenador-geral da Copa do Mundo da FIFA 2014 no Paraná, Mario Celso Cunha, juntamente com o diretor do Clube Atlético Paranaense, Nelson Fanaya Junior e o arquiteto Carlos Arcos, representantes da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), visitaram nesta quarta-feira (16), as obras do estádio Joaquim Américo, a Arena da Baixada.

O diretor do Departamento de Inteligência Estratégica da Abin, em Brasília, Janér Alvarenga, que estava acompanhado do superintendente da Abin/PR, Marlos Ribas, e do assessor de inteligência Edwing Lang, visitou as novas instalações do estádio, percorrendo todos os setores, com foco nas áreas de acesso, estacionamentos, broadcast, entorno e principalmente áreas Vips e VVips, onde ficarão as autoridades.

Segundo Alvarenga, "estamos percorrendo diversos estádios e podemos garantir que esta Arena é uma obra gigantesca e impressionante". O superintendente Marlos Ribas também elogiou o estádio. "Eu cheguei a conhecer o antigo estádio Joaquim Américo e hoje estar vendo esta obra moderna e com pontos de alta tecnologia faz muito bem para os olhos", afirmou o superintendente do Paraná. "Para nossa missão de inteligência observamos diversas áreas que se destacam como pontos de referência", finalizou Ribas.


O coordenador estadual da Copa comentou sobre a importância dessas visitas. "Esta equipe está verificando pessoalmente os principais setores do estádio, onde em breve estará recebendo as maiores autoridades do Brasil e do exterior", disse Mario Celso Cunha.

Ontem o gabinete da presidência solicitou informações sobre a entrega do estádio, considerando que a presidente pretende visitar a Arena do Atlético Paranaense na primeira quinzena de maio. Na próxima semana, terça-feira (22) estarão em Curitiba o secretário geral da Fifa Jérôme Valcke e o ministro do Esporte Aldo Rebelo, quando terão uma reunião com o governador Beto Richa e o prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet.

Os dirigentes da Abin também visitaram a secretaria da coordenação-geral da Copa, no Palácio das Araucárias, onde assistiram uma apresentação sobre a preparação da Copa do Mundo no Paraná.

Abin

Órgão central do Sistema Brasileiro de Inteligência, cujo cargo é planejar, executar, coordenar, supervisionar e controlar atividades de inteligência. Cabe-lhe a atribuição de executar a Política Nacional de Inteligência no mais alto nível do governo, de forma a integrar os demais órgãos setoriais de inteligência do país.

A Abin tem como competência assessorar o Chefe de Estado no desempenho de suas elevadas funções, sobretudo em caráter preventivo, assegurando-lhe o conhecimento antecipado de fatos e situações relacionados ao bem-estar da sociedade e ao desenvolvimento e segurança do país. É um órgão de assessoramento direto à Presidência da República.

Todos os países que reduziram a maioridade penal não diminuíram a violência


Nos 54 países que reduziram a maioridade penal não se registrou redução da violência. A Espanha e a Alemanha voltaram atrás na decisão de criminalizar menores de 18 anos. Hoje, 70% dos países estabelecem 18 anos como idade penal mínima

Por Frei Betto

Voltou à pauta do Congresso, por insistência do PSDB, a proposta de criminalizar menores de 18 anos via redução da maioridade penal.
De que adianta? Nossa legislação já responsabiliza toda pessoa acima de 12 anos por atos ilegais. Segundo o Estatuto da Criança e do Adolescente, o menor infrator deve merecer medidas socioeducativas, como advertência, obrigação de reparar o dano, prestação de serviço à comunidade, liberdade assistida, semiliberdade e internação. A medida é aplicada segundo a gravidade da infração.
Nos 54 países que reduziram a maioridade penal não se registrou redução da violência. A Espanha e a Alemanha voltaram atrás na decisão de criminalizar menores de 18 anos. Hoje, 70% dos países estabelecem 18 anos como idade penal mínima.
O índice de reincidência em nossas prisões é de 70%. Não existe, no Brasil, política penitenciária, nem intenção do Estado de recuperar os detentos. Uma reforma prisional seria tão necessária e urgente quanto a reforma política. As delegacias funcionam como escola de ensino fundamental para o crime; os cadeiões, como ensino médio; as penitenciárias, como universidades.
O ingresso precoce de adolescentes em nosso sistema carcerário só faria aumentar o número de bandidos, pois tornaria muitos deles distantes de qualquer medida socioeducativa. Ficariam trancafiados como mortos-vivos, sujeitos à violência, inclusive sexual, das facções que reinam em nossas prisões.
Já no sistema socioeducativo, o índice de reincidência é de 20%, o que indica que 80% dos menores infratores são recuperados.
Nosso sistema prisional já não comporta mais presos. No Brasil, eles são, hoje, 500 mil, a quarta maior população carcerária do mundo. Perdemos apenas para os EUA (2,2 milhões), China (1,6 milhão) e Rússia (740 mil).
Reduzir a maioridade penal é tratar o efeito, e não a causa. Ninguém nasce delinquente ou criminoso. Um jovem ingressa no crime devido à falta de escolaridade, de afeto familiar, e por pressão consumista que o convence de que só terá seu valor reconhecido socialmente se portar determinados produtos de grife.
Enfim, o menor infrator é resultado do descaso do Estado, que não garante a tantas crianças creches e educação de qualidade; áreas de esporte, arte e lazer; e a seus pais trabalho decente ou uma renda mínima para que possam subsistir com dignidade em caso de desemprego.
Segundo o PNAD, o adolescente que opta pelo ensino médio, aliado ao curso técnico, ganha em média 12,5% a mais do que aquele que fez o ensino médio comum. No entanto, ainda são raros cursos técnicos no Brasil.
Hoje, os adolescentes entre 14 e 17 anos são responsáveis por consumir 6% das bebidas vendidas em todo o território nacional. A quem caberia fiscalizar? Por que se permite que atletas e artistas de renome façam propaganda de cerveja na TV e na internet? A de cigarro está proibida, como se o tabaco fosse mais nocivo à saúde que o álcool. Alguém já viu um motorista matar um pedestre por dirigir sob o efeito do fumo?
Pesquisas indicam que o primeiro gole de bebidas alcoólicas ocorre entre os 11 e os 13 anos. E que, nos últimos anos, o número de mortes de jovens cresceu 15 vezes mais do que o observado em outras faixas etárias. De 15 a 19 anos, a mortalidade aumentou 21,4%.
Portanto, não basta reduzir a maioridade penal e instalar UPPs em áreas consideradas violentas. O traficante não espera que seu filho seja bandido, e sim doutor. Por que, junto com a polícia pacificadora, não ingressam, nas áreas dominadas por bandidos, escolas, oficinas de música, teatro, literatura e praças de esportes?
Punidos deveriam ser aqueles que utilizam menores na prática de crimes. E eles costumam ser hóspedes do Estado que, cego, permite que dentro das cadeias as facções criminosas monitorem, por celulares, todo tipo de violência contra os cidadãos.
Que tal criminalizar o poder público por conivência com o crime organizado? Bem dizia o filósofo Carlito Maia: “O problema do menor é o maior.”

quinta-feira, 10 de abril de 2014

Marcello Richa destaca importância do ativismo digital ao PSDB neste ano


Nos encontros realizados nas principais cidades do Paraná, o coordenador do Instituto Teotônio Vilela, Marcello Richa, tem destacado a importância da mobilização e do ativismo digital nas eleições do PSDB em outubro. Ontem no Hotel Hara em Curitiba, Richa comandou o encontro de Xico Graziano, coordenador do núcleo digital de Aécio Neves, com 500 lideranças e ativistas digitais.
“O Xico Graziano é um dos maiores nomes em mídias digitais do país e sua participação neste evento é um grande estímulo para o fortalecimento do trabalho que o PSDB Paraná vem desenvolvendo nesta área, trazendo novas ideias e sintonizando o trabalho estadual e nacional do PSDB”, disse Marcello Richa.

Graziano conversou com os ativistas e também destacou a importância e papel da internet e redes sociais dentro do atual cenário político brasileiro. "A internet é uma peça fundamental no desenvolvimento da política brasileira, não apenas em períodos eleitorais, mas também no fortalecimento, transparência e divulgação das políticas públicas. Somado a isso, ela nos permite incluir e estimular a participação ativa e consciente da população na construção das políticas do país, estados e municípios”, disse.

A conversa com Graziano faz parte de uma série de encontros que o ITV, em parceria com o PSDB Paraná, tem realizado em todo o estado para esclarecer dúvidas, fornecer orientações e destacar a importância da atuação de militantes, jovens, formadores de opinião, e ativistas nas mídias digitais. "Nosso principal objetivo com esses encontros é unificar a comunicação e o trabalho do PSDB no Paraná. Queremos estimular o diálogo, esclarecer dúvidas e fortalecer o compartilhamento de conteúdos com nossos projetos, ideais e trabalho que políticos do partido desenvolvem em nosso estado e em todo país”, disse Richa.

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Fifa faz inspeção nos CTs do Paraná


Neste domingo (06) uma comitiva da FIFA, acompanhada de assessores do Comitê Organizador Local (COL), esteve no Centro de Treinamento do Caju do Clube Atlético Paranaense, local que irá receber a delegação da Espanha durante a Copa do Mundo da Fifa de 2014.

A visita durou cerca de duas horas, e o diretor de consultoria da FIFA Andy Cole andou pelos campos oficiais do Centro de Treinamento, junto com o coordenador de competições da FIFA João França, além do técnico agrícola Emerson Horosteck e o coordenador de Competições e Serviços às Equipes Alisson Tovar. Todos foram recebidos pelo diretor do Clube Atlético Paranaense, Fernando Deleck, juntamente com o coordenador geral da Copa do Mundo 2014 no Paraná, Mario Celso Cunha, e o assessor da coordenação geral Alceu Menta ‘Caxias’.

Andy Cole retirou algumas amostras do gramado, fez medições e sugeriu alguns ajustes como o corte tecnicamente perfeito. Dos dez campos oficiais ele se fixou em dois deles, os quais serão mais utilizados pela seleção da Espanha.

Nesta segunda-feira (07) a comitiva estará em Foz do Iguaçu, onde fará inspeção de gramado no Centro de Treinamento Pedro Basso, do Flamengo Esporte Clube. O trabalho será realizado entre 11 e 12h00, seguindo depois para Belo Horizonte onde estarão realizando inspeções nos CTs do Cruzeiro e do Atlético Mineiro.

Foto: Divulgação

domingo, 6 de abril de 2014

Brasília não dorme, diz Época


A revista traz neste final de semana uma matéria "Propina na Petrobras" em revela que As empresas de fachada, as contas em paraísos fiscais, a lista de empreiteiras – e os indícios de corrupção que o ex-diretor Paulo Roberto Costa não conseguiu destruir antes de ser preso. Outro personagem, Alberto Yousseff, também é apontado como o homem que cuidava do dinheiro desviado. Veja a seguir parte da matéria postada pela revista na internet. A íntegra está nas bancas.

Desde que a Polícia Federal prendeu Paulo Roberto Costa, o ex-executivo mais poderoso da Petrobras, há duas semanas, Brasília não dorme. Dezenas de grandes empresários, entre eles diretores das maiores empreiteiras do país e das gigantes mundiais do comércio de combustíveis, todas com negócios na Petrobras, também não. Paulo Roberto Costa era diretor de Abastecimento da Petrobras entre 2004 e 2012. Era bancado no cargo por um consórcio entre PT, PMDB e PP, com o aval direto do ex-presidente Lula, que o chamava de “Paulinho”.

Paulo Roberto Costa detém muitos dos segredos da República – aqueles que nascem da união entre o interesse de empresários em ganhar dinheiro público e do interesse de políticos em cedê-lo, mediante aquela taxa conhecida vulgarmente como propina. E se Paulo Roberto fosse descuidado e guardasse provas desses segredos? E se, uma vez descobertas pela PF, elas viessem a público? Pois Paulo Roberto guardou. Tentava destruí-las quando a Polícia Federal chegou a sua casa, há duas semanas. Mas não conseguiu se livrar de todas a tempo.

ÉPOCA obteve cópia, com exclusividade, dos principais documentos desse lote. Foram apreendidos nos endereços de Paulo Roberto no Rio de Janeiro, onde ele mora. Esses documentos – e outros que faziam parte da denúncia que levou Paulo Roberto à cadeia e ainda não tinham vindo a público – parecem confirmar os piores temores de Brasília. Paulo Roberto e o doleiro Alberto Youssef, também preso pela PF e parceiro dele, acusado de toda sorte de crime financeiro na Operação Lava Jato, eram meticulosos.

Guardavam registros pormenorizados de suas operações financeiras, sem sequer recorrer a códigos. Era tudo em português claro, embora gramaticalmente sofrível. Anotavam os nomes de lobistas e empresários, quase sempre os associavam a negócios e a valores em dólares, euros e reais. Os registros continham até explicações técnicas e financeiras das operações.

Os valores milionários mencionados nos documentos, suspeita a PF – uma suspeita confirmada por três envolvidos ouvidos por ÉPOCA –, referem-se a propinas pagas pelas empresas, nacionais e estrangeiras, que detinham contratos com a área da Petrobras comandada por Paulo Roberto. Os papéis já analisados pela PF (há muitos outros que ainda serão periciados) sugerem que as maiores empreiteiras do país e as principais vendedoras de combustível do planeta pagavam comissão para fazer negócio com a Petrobras.

Para compreender o esquema, cuja vastidão apenas começa a ser desvendada pela PF, é necessário entender a função desempenhada por cada um dos principais integrantes dele. Como diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto fechava, entre outros, contratos de construção e reforma de refinarias (do interesse das empreiteiras brasileiras) e de importação de combustível (do interesse das multinacionais que vendem derivados de petróleo). Paulo Roberto assinava os contratos, mas devia, em muitos momentos, fidelidade aos três partidos que o bancavam no cargo (PT, PP e PMDB).

Paulo Roberto garantia a Petrobras; lobistas como Fernando Soares, conhecido como Fernando Baiano, e Jorge Luz, ligado ao PT e ao PMDB, cujos nomes aparecem nos papéis apreendidos, garantiam as oportunidades de negócio com as grandes fornecedoras da Petrobras – e, suspeita a PF, garantiam também possíveis repasses aos políticos desses partidos.

Para a PF, a Youssef cabia cuidar do dinheiro. Segundo envolvidos, essa tarefa também cabia a Humberto Sampaio de Mesquita, conhecido como Beto, genro de Paulo Roberto. Ele o ajudava nos negócios e é sócio de uma empresa que tem contrato de R$ 2,5 milhões com a Petrobras. Eram uma espécie de banco do esquema, ao providenciar empresas de fachada para receber as propinas no Brasil e nos paraísos fiscais, ao gerenciar as contas secretas e a contabilidade e ao pagar no Brasil, quando necessário, a quem de direito.

sexta-feira, 4 de abril de 2014

Psol pede afastamento de Vargas da Câmara

Na foto ao lado, o deputado Bolsonaro ironiza o deputado André Vargas com o punho cerrado, saudação socialista

A Mesa da Câmara dos Deputados vai decidir na próxima semana se pedirá abertura de investigação sobre o envolvimento do deputado André Vargas (PT-PR), 1º vice-presidente da Casa, com o doleiro Alberto Youssef, preso na Operação Lava Jato da Polícia Federal. Como não houve iniciativa da Câmara desde a reportagem do jornal Folha de S.Paulo, o líder do Psol, Ivan Valente (SP), protocolou hoje pedido para que o caso seja apurado. O jornal revelou que Vargas usou um avião de Youssef para uma viagem a João Pessoa.
“A atitude mostra uma relação promíscua entre o público e o privado por um dirigente da Mesa da Câmara. Por isso, pedimos que a Mesa se pronuncie e peça para que a Corregedoria investigue a fundo e tome as medidas necessárias”, explicou Valente.
Se a Mesa acatar a sugestão, a Corregedoria da Câmara vai reunir documentos, ouvir o parlamentar e decidir se arquiva a investigação ou encaminha ao Conselho de Ética para abertura de um processo de cassação. “Fizemos a provocação. Entendemos que o colegiado tem a responsabilidade de mandar investigar o vice-presidente. Vamos esperar a deliberação”, afirmou.
Segundo o jornal, o empréstimo da aeronave foi discutido entre Vargas e Youssef por mensagem de texto no início de janeiro. O parlamentar chegou a divulgar uma nota para dizer que é amigo do doleiro e que não tem qualquer envolvimento com os negócios de Youssef.
Vargas fez um discurso no plenário da Câmara, negando envolvimento com negócios do doleiro, mas admitindo que conhece Youssef há mais de 20 anos. O vice-presidente da Câmara disse que foi surpreendido com as notícias sobre a investigação de Youssef, e ressaltou que desconhecia os motivos pelos quais ele estava sendo investigado.
Ivan Valente disse que o reconhecimento de que o caso foi “uma imprudência”, conforme Vargas definiu em plenário, não é suficiente diante das denúncias. “Ele mesmo colocou que foi uma imprudência. Mas acho que foi mais que isso, e precisaria de uma resposta mais adequada”, defendeu.

quinta-feira, 3 de abril de 2014

Televisão russa entrevista coordenador da Copa


Uma equipe do Telekanal Rússia 02 esteve nesta quarta-feira (02), na sede da coordenação geral da Copa do Mundo 2014 no Paraná, fazendo matéria sobre o Mundial no Brasil, destacando os estádios, centros de treinamento e segurança.

O coordenador geral da Copa, Mario Celso Cunha, foi entrevistado pelo repórter Vladimir Stognienko, que apresenta um dos programas esportivos de maior audiência na Rússia. Vladimir estava acompanhado do operador de som Yury Belov, do assistente Eugengi Laqsnov e do tradutor Yury Serednyakov. Todos estarão no Brasil para a cobertura dos jogos da Seleção da Rússia, que jogará no dia 26 de junho, às 17 horas, na Arena do Clube Atlético Paranaense, contra a seleção da Argélia.
No ano passado (2013) um total de 28 mil turistas russos vieram ao Brasil. A maioria com o foco no turismo espontâneo. A promoção do Brasil através da Embratur e também do acordo BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) estimulou a vinda dos turistas destes países.
“Os soviéticos jogarão em Cuiabá, Rio de Janeiro e Curitiba”. “Vamos dar toda a atenção necessária para a Rússia, que será a próxima anfitriã da Copa do Mundo de 2018”, disse o coordenador Mario Celso Cunha.
A Seleção da Rússia tem como técnico o consagrado Fabio Capello, e ficará concentrada no CT de Itu, no interior de São Paulo. A Rússia já participou de duas Copas do Mundo (1994 e 2002) e nas Eliminatórias para a Copa 2014 ficou em primeiro lugar no Grupo F, na frente da poderosa Seleção de Portugal.

Fotos: Coordenação Geral da Copa / PR

quarta-feira, 2 de abril de 2014

Canadá prepara recepção para turistas da Copa 2014


O Cônsul do Canadá em São Paulo, Bill Milner, esteve nesta terça-feira (1º) na sede da coordenação geral da Copa 2014 no Paraná, no Palácio das Araucárias, acompanhado da assessora para Assuntos Consulares, Denise Rodrigues.

Foram recebidos pelo coordenador geral da Copa, Mario Celso Cunha, e trataram de temas ligados aos turistas canadenses que virão assistir os jogos na Arena de Curitiba. “Existem muitos canadenses com dupla nacionalidade e assim dificulta um pouco a identificação deles neste projeto da Copa. Vamos estar atentos aos nossos turistas e procurar orientá-los e atendê-los da melhor maneira, contando com isto com o governo do Paraná”, disse Milner.
“Dos mais de 200 mil ingressos vendidos para a Copa 2014, um total de 2.891 foram vendidos para canadenses”, disse o coordenador geral da Copa. “No Brasil existem mais de cinco mil canadenses com residência fixa, e muitos deles estarão assistindo os jogos do mundial”, completou Cunha.
A seleção do Canadá não se classificou para a Copa do Mundo da FIFA 2014, mas muitos turistas virão ao Brasil para acompanhar os jogos. Um terço das viagens de canadenses ao Brasil é motivada por negócios, com destino a São Paulo (45%) e Rio de Janeiro (35%). A lazer, os destinos mais procurados são Rio de Janeiro (72%) e Foz do Iguaçu (27%). No ano passado mais de 80 mil canadenses vieram ao Brasil.
Outra equipe da Embaixada do Canadá, formada por Derick Fredericks, Christian Welan, Thomas Anticliffe e Patrícia de Paula, visitaram as dependências do estádio Joaquim Américo, a Arena da Baixada.

Fotos: Coordenação Geral da Copa no Paraná