terça-feira, 26 de novembro de 2013

Pessuti abraça Beto Richa e reconhece que a crise do Estado é culpa de Jaime Lerner



Do alto de sua experiência como ex-governador, Orlando Pessuti jogou nas costas do ex-governador Jaime Lerner a culpa pela crise financeira que vive o Estado. Segundo ele, alguns motivos podem até ser culpa do governador Beto Richa, mas o principal “vem de longe”.
Para Pessuti, tudo começou quando Jaime Lerner vendeu o Banestado, ações da Copel e da Sanepar e recebeu, antecipadamente, os royalties de Itaipu.
Só para citar um exemplo, diz o ex-governador, o Estado paga, todo mês, aproximadamente 80 milhões de reais pelo empréstimo contraído para sanear o Banestado, antes de vendê-lo.
Isso multiplicado por 35 meses do governo Beto Richa, chegamos a um valor pago em torno de R$ 2, 8 bilhões. Somando-se a isso, o que já foi pago de dividendos das ações vendidas da Copel e da Sanepar, essa soma vai além dos R$ 3 bilhões Esses recursos saíram do caixa do governo estadual, atesta Pessuti.
Pessuti afirma que esta crise era “previsível”.
Quando votamos contra essas vendas, lá atrás no governo de Jaime Lerner, nós avisamos que um dia o Estado passaria por essa situação. Tardou, mas aconteceu e o resultado está aí, lamenta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário