segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Violência no jogo Atlético Paranaense X Vasco foi preparada pela torcida vascaína



A grande maioria dos comentaristas do país dava como certa a vitória do Clube Atlético Paranaense no jogo realizado ontem na Arena Joinville, por diversos motivos, entre os quais o histórico de cada equipe e o desespero do time carioca para fugir da segunda divisão.
Para evitar o rebaixamento e jogar a decisão para os tribunais desportivos, onde os cartolas cariocas costumam levar a melhor, com apoio da chamada grande imprensa, a torcida organizada do Vasco da Gama preparou com antecedência a violência deflagrada na Arena Joinville, como provam os artefatos que alguns vascaínos portavam.
A essa atitude antidesportiva – não rara no futebol brasileiro – somou-se a incompetência do comando da Polícia Militar de Santa Catarina, que se recusou a colocar policiais em campo, mesmo sabendo da visível possibilidade de brigas anunciadas pelas redes sociais da torcida organizada do Vasco. Confrontado pela imprensa, o comandante da PM no jogo realizado denunciou – irresponsavelmente - que a culpa seria do Ministério Público de SC, que teria impedido a presença de policiais militares no estádio. Afirmação desmentida depois pelo órgão da Justiça catarinense.
Portanto, a culpa da violência e selvageria verificada na Arena Joinville não é da torcida organizada do Atlético Paranaense, mas da torcida vascaína, a única interessada em tumultuar o bom andamento da partida que mostrava a vitória atleticana desde os primeiros minutos de jogo.
As grandes redes de televisão, sediadas no Rio de Janeiro, acusavam ambas as torcidas pela violência no estádio, contrariando as cenas por eles mesmos gravaram provando que foi a torcida vascaína quem rompeu os alambrados e invadiu o espaço destinado à torcida atleticana, iniciando a briga e a violência que resultou em quatro torcedores feridos.
Nos minutos que se seguiram ao confronto, alguns canais de televisão noticiavam a morte de alguns torcedores, incluindo “depoimentos” de radialistas catarinenses, para pressionar o árbitro a encerrar a partida.
Diante da invasão de seu espaço, a torcida atleticana – os Fanáticos – reagiu e impediu que os vascaínos agredissem os torcedores pais de famílias que se encontravam no local com mulheres e crianças. Portanto, a organizada do Atlético impediu que a tragédia tivesse resultados trágicos para a história do nosso futebol.
Em resumo, a violência na Arena Joinville foi uma estratégia frustrada de uma torcida organizada conhecida por atos de vandalismo e bandidagem, exatamente parte da torcida organizada vascaína que promoveu os episódios vergonhosos que o Brasil e o mundo assistiram horrorizados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário