quinta-feira, 27 de junho de 2013

Luta para baixar passagens: Richa 10 X 0 Gustavo



A campanha em curso para baixar o preço do transporte coletivo na maioria das capitais e centenas de cidades brasileiras fez uma vítima em Curitiba, o prefeito Gustavo Fruet, que até o momento não se deu conta das mudanças em curso.
Por outro lado, revelou uma faceta até então desconhecida do governador Beto Richa, a capacidade de antecipar acontecimentos políticos e evitar o desgaste político. Neste sentido, no dia 11 de maio, quando a maioria dos prefeitos – incluindo Gustavo – afirmava que não tinham condições de reduzir o valor das passagens do transporte coletivo, o governador Beto Richa aumentou o subsídio ao transporte de Curitiba e Região Metropolitana, que passou a ser de R$ 76 milhões por ano.
Na oportunidade o governador cobrou a desoneração de impostos federais que incidem sobre as tarifas do transporte urbano. Richa explicou que os tributos chegavam a 25% do preço final da tarifa. “Em 2005, reuni em Curitiba os principais prefeitos do País e levamos a reivindicação ao governo federal, mas infelizmente não fomos atendidos”, disse. Somente quando o povo saiu às ruas, a presidente Dilma decidiu exonerar os tributos solicitados por Richa.
Richa assinou a isenção do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre o óleo diesel, antes de todos os demais governos estaduais e federal.
Na contramão dos governadores e prefeitos das maiores capitais, Richa assumiu o risco de se indispor com os políticos tradicionais que se beneficiam de esquemas e acertos com as empresas concessionárias do transporte coletivo. O prefeito Gustavo Fruet, entretanto, convocava a imprensa para pedir que a população o ajudasse a encontrar uma fórmula para reduzir o preço das passagens, porque segundo ele não havia nenhuma forma ou condição de fazê-lo.
No dia 12 de junho, quando as manifestações começaram a pipocar em diversas cidades e capitais, Beto Richa determinou a redução da passagem em R$ 0,10 nas linhas
que não fazem parte da Rede Integrada de Transporte (RIT). A redução atingiu 19 cidades.
Finalmente, no dia 20 de junho, após pressão popular, o prefeito Gustavo Fruet veio a público informar que seguiria o exemplo dos prefeitos do Rio e São Paulo, e que reduziria o preço da passagem de ônibus em Curitiba, de R$ 2,85 para R$ 2,70.
A decisão do prefeito Gustavo Fruet veio tardia, revelando ao povo curitibano que seu poder de decisão é lento. Enquanto Beto Richa antecipava decisões certeiras e agia com rapidez e eficiência, Gustavo vacilava, fazendo do embate entre eles, 10 a 0 para Richa.
Dizem que é nos momentos de crise que se conhece os homens. Neste caso, a cúpula do PSDB deveria voltar os olhos para o Paraná, onde um jovem governador teria melhores condições de disputar a próxima eleição presidencial, onde o desgaste dos principais figurantes será o fator decisivo em 2014.

Henrique A. Teixeira

segunda-feira, 24 de junho de 2013

NOTA OFICIAL SOBRE MANIFESTOS NA ARENA DA BAIXADA



No final da tarde de ontem (21 de junho), o estádio Joaquim Américo foi alvo de manifestantes que, além de protestar, promoveram depredações ao patrimônio do clube. O Clube Atlético Paranaense agradece o apoio da Torcida Organizada Os Fanáticos na proteção feita à Arena, estádio que sediará a Copa do Mundo, em Curitiba, e que é a casa de todos os torcedores rubro-negros. A presença e o comportamento dos Fanáticos com desprendimento, disposição e amor coibiu e protegeu o patrimônio atleticano de um ataque sem precedentes.

O Clube Atlético Paranaense esclarece que a realização da Copa do Mundo foi uma iniciativa dos Governos Federal, Estadual e Municipal. O CAP disponibilizou o seu estádio, até então o mais moderno do país, aos governos para que viabilizassem a realização da competição, evento de grande porte e representatividade mundial, em Curitiba.

A parceria tripartite entre Governo do Estado do Paraná, Prefeitura Municipal de Curitiba e Clube Atlético Paranaense permitiu a união pública e privada de esforços com intuito de realizar as obras do estádio com o custo mais baixo entre todas as sedes. O valor investido pelos governos foi realizado em títulos de potencial construtivo (que serão comprados pela iniciativa privada posteriormente) e não com a utilização de recursos advindos dos orçamentos municipal e estadual. Este valor de títulos de potencial construtivo gira em torno de R$ 123 milhões, enquanto em outros Estados os investimentos nas obras dos estádios ultrapassaram R$ 1 bilhão, tendo ficado a média destes investimentos em R$ 750 milhões. Ou seja, seis (6) vezes maior que o valor da obra do estádio no Paraná.

Além disso, a auto-gestão das obras da Arena pelo clube permitiu uma redução ainda maior no orçamento. É importante ressaltar que além do patrimônio que já existia no estádio antes das obras de reforma e ampliação para a Copa do Mundo, o clube está pagando a sua parte do acordo tripartite para a realização das obras. Ou seja, o patrimônio continua sendo particular e o CAP não admitirá que o mesmo seja depredado. Da mesma maneira, o clube entende que toda a comunidade paranaense será beneficiada com a vinda da Copa do Mundo, evento de grande porte e representatividade mundial, não somente os torcedores atleticanos.

O CAP não entra no mérito das manifestações contra a Copa, porém, entende que as mesmas estão cinco anos atrasadas, pois deveriam ter acontecido em 2008 quando foram escolhidas as sedes do evento. Atualmente, o que pode e deve ser feito é uma profunda auditoria nas contas das obras que possuem empreiteiras e nos tesouros de outros Estados que gastaram várias vezes mais que o necessário para a reforma dos estádios.

O CAP não é contra as manifestações, desde sejam feitas de maneira civilizada e sem danos ao patrimônio, sejam eles públicos ou privados.

sábado, 22 de junho de 2013

Manifestação em Curitiba descamba em vandalismo



A segunda Farofada do Transporte Coletivo realizada em Curitiba nesta sexta-feira fugiu ao controle dos organizadores e repetiu cenas de vandalismo e violência.



Mais de 15 mil pessoas desfilaram pacificamente pelo centro da cidade. Uma parte se dirigiu ao Centro Cívico e outra à praça do Japão. No final da manifestação pequenos grupos de arruaceiros e criminosos arrombaram e saquearam lojas e restaurantes no centro da cidade. Depredaram tubos de ônibus, orelhões e prédios públicos e particulares.
Além do centro, protestos foram realizados no Contorno Sul da cidade, e tamém houve violência e depredações.
Alguns grupos de torcidas organizadas se dirigiram à Arena da Baixada para promover depredações, mas foram barrados e contidos por membros da torcida organizada Fanáticos do Atlético.
A manifestação que começou pacífica fugiu ao controle dos organizadores porque foi infiltrada por marginais, bandidos e irresponsáveis. A destruição do patrimônio particular ou público não interessa aos manifestantes, mas apenas a um pequeno grupo de criminosos, que como tal devem ser tratados pelas autoridades policiais.

quarta-feira, 19 de junho de 2013


Leia em http://issuu.com/jornalaguaverde/docs/av_junho13

Propostas para passar o Brasíl à limpo



Não é com vandalismo ou destruição que vamos passar o Brasil à limpo. Existem propostas concretas. Compartilhe e divulgue:

Que venha o novo referendo pelo desarmamento. Votarei NÃO, como da primeira vez, e quantas forem necessárias. Até que os Governos Federal, Estaduais e Municipais, cada qual em sua competência, revoguem as leis que protegem bandidos, desarmem-nos, prendam-nos, invistam nos sistemas penitenciários, impeçam a entrada ilegal de armas no País e entendam de uma vez por todas que NÃO lhe cabe desarmar cidadãos de bem.
Nesse ínterim, proponho que outras questões sejam inseridas no referendo:
· Voto facultativo? SIM!
· Apenas 2 Senadores por Estado? SIM!
· Reduzir para um terço os Deputados Federais e Estaduais e os Vereadores? SIM!
· Acesso a cargos públicos exclusivamente por concurso, e NÃO por nepotismo? SIM!
· Reduzir os 37 Ministérios para 12? SIM!
· Cláusula de bloqueio para partidos nanicos sem voto? SIM!
· Fidelidade partidária absoluta? SIM!
· Férias de apenas 30 dias para todos os políticos e juízes? SIM!
· Ampliação do Ficha-limpa? SIM!
· Fim de todas as mordomias de integrantes dos três poderes, nas três esferas? SIM!
· Cadeia imediata para quem desviar dinheiro público (elevando-se para a categoria de crime hediondo? SIM!.
Atualização dos códigos penal e processo penal? SIM!
· Fim dos suplentes de Senador sem votos? SIM!
· Redução dos 20.000 funcionários do Congresso para um quinto? SIM!
· Voto em lista fechada? NÃO!
· Financiamento público das campanhas? NÃO!
· Horário Eleitoral obrigatório? NÃO!
· Maioridade penal aos 16 anos para quem tirar título de eleitor? SIM!
Um BASTA! na politicagem rasteira que se pratica no Brasil? SIM !!!!!!!!!!!
"O dinheiro faz homens ricos; o conhecimento faz homens sábios e a humildade faz homens grandes."

A Carta publicada ontem no Globo Por Gil Cordeiro Dias Ferreira

domingo, 16 de junho de 2013

Prisão do ex-vereador Aparecido Custódio prova que só vai preso o “peixe pequeno”



O ex-vereador e ex-deputado estadual Aparecido Custódio da Silva é um dos únicos políticos presos no Paraná. Ele cumpriu três anos na penitenciária em regime fechado e agora foi transferido para a Colônia Penal.
Os valores pelos quais ele foi acusado de desviar - e condenado - são ínfimos se comparados à roubalheira nos últimos anos na Câmara Municipal de Curitiba, onde os quadrilheiros da administração anterior continuam impunes, zombando da sociedade lesada, confirmando o ditado popular de que no Brasil somente pobre vai pra cadeia, ou os “peixes pequenos”.

sexta-feira, 14 de junho de 2013

Jornalistas criticam ação da PM paulista



Do site do Sindicato dos Jornalistas de São Paulo:

Novas cenas de agressões aos jornalistas foram presenciadas no início da noite desta quinta-feira (13) durante manifestação ocorrida no centro de São Paulo. O jornalista Piero Locateli da revista Carta Capital e o repórter cinematográfico do portal Terra, Fernando Borges, foram vítimas de violência policial. O número de vítimas aumentou com os repórteres da TV Folha, Giuliana Vallone - que levou um tiro de bala de borracha no olho e Fábio Braga, da Folha Online.

Nas manifestações foram detidos e agredidos pela Polícia Militar, os profissionais Fernando Mellis, do Portal R7, Leandro Machado, repórter da Folha de S. Paulo e Leandro Morais, repórter fotográfico do UOL. O repórter do jornal Metro, Henrique Beirange, foi atingido por um jato de spray de pimenta. Já o repórter do Portal Terra, Vagner Magalhães, levou um golpe de cacetete de um policial militar, enquanto seu colega, o fotógrafo, Fernando Borges, também foi detido e ficou preso por 40 minutos.

A entidade também exigiu a libertação do jornalista Pedro Ribeiro Nogueira, do Portal Aprendiz, detido arbitrariamente durante os protestos contra o aumento das tarifas do transporte público na noite de terça-feira (11) e solicitou às autoridades garantia de integridade física e direito à liberdade de imprensa aos profissionais de imprensa que trabalham na cobertura jornalística das manifestações.

Prevendo novos conflitos, a direção do SJSP enviou ofício à Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo, Tribunal de Justiça de São Paulo, Ouvidoria das Polícias de São Paulo, Corregedoria das Polícias Civil e Militar, Comandos da PM e GCM, ao Palácio dos Bandeirantes, ALESP, entre outros, exigindo providências contra as arbitrariedades ocorridas contra os jornalistas. Este é o teor do documento:

“Tendo em vista que muitos jornalistas foram agredidos e detidos por autoridades policiais enquanto realizavam seu trabalho jornalístico, fato ocorrido na última manifestação e amplamente divulgado pela imprensa, solicitamos garantia à integridade física e o direito à Liberdade de Imprensa aos Jornalistas que cobrem o evento para que possam trabalhar sem o “risco” de serem detidos ilegalmente ou constrangidos no exercício da função de informar o cidadão sobre este acontecimento de importância pública relevante.

Conforme assegura a Constituição Federal, a Liberdade de Imprensa e o Direito à Informação são requisitos fundamentais da democracia e dos princípios republicanos que norteiam o Estado brasileiro e o trabalho do jornalista tem por objetivo cobrir e dar publicidade imparcial aos fatos ocorridos”.

quarta-feira, 12 de junho de 2013

Richa reduz em R$ 0,10 tarifa de ônibus da RMC



O governador Beto Richa anunciou agora há pouco a redução de R$ 0,10 no preço das passagens de ônibus da rede não integrada da Região Metropolitana de Curitiba. A medida atende três milhões de pessoas, 81 linhas de ônibus e 158 mil usuários/dia. “O dia de hoje representa uma vitória de uma luta antiga que travamos para redução do preço das passagens, com benefício direto para os trabalhadores”, afirmou Richa.

São beneficiados passageiros de 18 municípios: São José dos Pinhais, Campo Largo, Balsa Nova, Araucária, Colombo, Almirante Tamandaré, Quatro Barras, Piraquara, Bocaiúva do Sul, Campina Grande do Sul, Itaperuçu, Rio Branco do Sul, Quitandinha, Fazenda Rio Grande, Mandirituba, Contenda, Agudos do Sul e Curitiba.

terça-feira, 11 de junho de 2013

Estuprador é enterrado vivo na Bolívia. Em Curitiba...




Curitiba - Na última sexta-feira um ladrão violentou uma cobradora de ônibus na estação-tubo da Vila Fanny, por volta das 5 horas, na Linha Verde.
Um dia antes ele havia assaltado a estação-tubo. No dia seguinte ao estupro ele voltou à estação e procurou pela cobradora, segundo relato de um cobrador que estava no local. Ele foi identificado através de uma cicatriz no rosto e preso por policiais da Delegacia de Roubos, e confessou ter praticado 41 assaltos a estações-tubos nas últimas semanas.
O ladrão e estuprador foi encaminhado à carceragem da delegacia e ficará separado dos demais presos, por correr risco de morte ou violência por parte dos demais presos.
Após julgamento, será preso e depois de alguns anos será solto, para seguir praticando crimes desse tipo, ou talvez piores.

Bolívia – O jovem Santos Ramon Colque, de 18 anos, foi enterrado vivo na cidade de Colquechaca, há 400 km de La Paz. Ele foi acusado de estuprar e matar uma mulher de 35 anos. Aproximadamente 100 pessoas pegaram o estuprador, “bateram muito e depois o enterraram vivo”, afirmou o promotor de Justiça local. “Com as mãos amarradas e a barriga para baixo, com o caixão da vítima sendo colocado por cima. Depois cobriram tudo com terra, relatou o promotor Gilberto Cruz à rádio Erbol.

Estes acontecimentos provam que em alguns casos os bolivianos estão muito mais evoluídos que os brasileiros. A prisão do estuprador brasileiro não vai inibir ou colocar medo em outros estupradores, mas na Bolívia, nenhum estuprador vai agir por muito tempo, porque sabe que a punição será a morte.

Ódio de classe contra o Bolsa Família




Eu não tinha a dimensão do ódio de classe contra o Bolsa Família. Supunha que era apenas uma birra de conservadores contra o PT e quem criticava o Bolsa Família o fazia por rancor de classe a Lula, ou algo do gênero, jamais por ser contra pobre matar a sua fome com dinheiro público.

Idiota ingenuidade a minha! A questão não é de autoria, mas de destinatário! Os críticos esquecem que a fome não é um problema pessoal de quem passa fome, mas um problema político. E Lula assumiu que o Brasil tem o dever de cuidar de sua gente quando ela não dá conta e enquanto não dá conta por si mesma. E Dilma honra o compromisso.

Estou exausta de tanto ouvir que não há mais empregada doméstica, babá, “meninas pra criar”, braços para a lavoura e as lidas das fazendas que não são agronegócios… E que a culpa é do Bolsa Família!

Conheço muita gente que está vendendo casas de campo, médias e pequenas propriedades rurais porque simplesmente não encontra “trabalhadores braçais” nem para capinar um pátio, quanto mais para manter a postos “um moleque de mandados”, como era o costume até há pouco tempo! E o fenômeno é creditado exclusivamente ao Bolsa Família.

Esquecem a penetração massiva do capitalismo no campo que emprega, ainda que pagando uma “merreca”, com garantias trabalhistas, em serviços menos duros do que ficar 24 horas por dia à disposição dos “mandados” da casa-grande, que raramente “assina carteira”. Eis a verdade!

Esquecem que a população rural no Brasil hoje é escassa. Dados do IBGE de setembro de 2012: a população residente rural é 15% da população total do país: 195,24 milhões.

Não há muitos braços disponíveis no campo, muito menos sobrando e clamando por um prato de comida, gente disposta a alugar sua força de trabalho por qualquer tostão, num regime de quase escravidão, além do que há outras ocupações com salários e condições trabalhistas mais atraentes do que capinar, “trabalhar de aluguel”, que em geral nem dá para comprar o “dicumê”. Dados de 2009 já informavam que 44,7% dos moradores na zona rural auferiam renda de atividades não agrícolas!

Basta juntar três pessoas de classe média que as críticas negativas ao Bolsa Família brotam como cogumelos. Após a boataria de 18 de maio, que o Bolsa Família seria extinto, esse assunto se tornou obrigatório. Fazem questão de ignorar que ele é o maior e mais importante programa antipobreza do mundo e foi copiado por 40 países – é uma “transferência condicional de renda” que objetiva combater a pobreza existente e quebrar o seu ciclo.

Atualmente, ajuda 50 milhões de brasileiros: mais de 1/4 do povo! E investe apenas 0,8% do PIB! Sem tal dinheiro, mais de 1/4 da população brasileira ainda estaria passando fome!

Mas há gente sem repertório humanitário, como as que escreveram dois tuítes que recebi: “Nunca vi tanta gente nutrida nas filas dos caixas eletrônicos para receber o Bolsa Família, até parecia fila para fazer cirurgia bariátrica”; e “Eu também nunca havia visto tanta gente rechonchuda reunida para sugar a bolsa-voto!”.

Como disse a minha personagem dona Lô: “Coisa de gente má que nunca soube o que é comer pastel de imaginação; quem pensa assim integra as hostes da campanha Cansei de Sustentar Vagabundo, que circulou nas eleições presidenciais de 2010”. São evidências de que há gente que não se importa e até gosta de viver num mundo em que, como escreveu Josué de Castro, em Geografia da Fome (1984): “Metade da humanidade não come e a outra não dorme com medo da que não come…”.

Por Fátima Oliveira, no blog Viomundo

Incrível que essas pessoas que atacam a bolsa família consigam dormir, ou ir à igreja rezar. Não tem consciência e muito menos espírito cristão. São marionetes da mídia mercenária e elitista.

sexta-feira, 7 de junho de 2013

Torturam cães para vender a carne




A foto fala por si.
Cachorros capturados no Vietnam seguem em direção a Tailândia para serem vendidos como alimento nobre.
Com um detalhe.
Os animais são torturados durante a viagem para melhorar o sabor da carne.
Muitos desses cachorros não viviam abandonados nas ruas. Pertenciam a famílias, principalmente a crianças de quem eram roubados.
A carne de cachorro é considerada um manjar e o preço do prato chega a ultrapassar os 60 dólares.
John Dalley ativista da ONG Fundo Para o Bem Estar Animal calcula que anualmente são mortos para servir à mesa mais de um milhão de cachorrinhos.
Relata que as torturas são indescritíveis e começam pelo transporte. E que é muito difícil coibir o contrabando e a morte dos cachorros já que eles são parte de um prato tradicional e milenar.
Deixando o cinismo de lado, já que a morte faz parte da sobrevivência da humanidade, o doloroso é a brutalidade e a crueldade como esses animais são tratados.
Torturar o cachorro para melhorar o sabor?
Sempre digo que se um dia a humanidade desaparecer, o universo não sentirá falta.
Pobres animais
Pobre humanidade
Pobres de nós...

Geroges Bourdoukan

quinta-feira, 6 de junho de 2013

Jornais de Bairros homenageiam o presidente do TRE-PR




Ontem quatro jornais de bairros de Curitiba prestaram homenagem ao presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná, desembargador Rogério Coelho, com a entrega do Diploma Destaque Estadual, em reconhecimento à eficiência do Tribunal na apuração de votos nas últimas eleições e no cadastramento biométrico dos eleitores curitibanos.
A entrega do diploma foi feita na presidência do TRE, durante visita de diretores de quatro jornais de bairros de Curitiba: José Gil, do Jornal Água Verde; Adilson da Costa Moreira, da Gazeta do Santa Cândida; Rafael Rosa, do jornal O Portão e Maurício Grabowski, do Jornal do Centro Cívico. Ao receber o diploma, o presidente do TRE-PR, desembargador Rogério Coelho, fez questão de destacar que a eficiência do tribunal se deve ao trabalho conjunto dos juízes da Corte daquele tribunal e ao trabalho do funcionalismo.
Segundo o diretor do Jornal Santa Cândida, Adilson da Costa Moreira, esta homenagem é “um reconhecimento à agilidade e eficiência dos serviços prestados por esse tribunal à democracia brasileira”.
Para José Gil, diretor do Jornal Água Verde, “o TRE do Paraná é um exemplo a ser seguido não apenas pelos demais tribunais eleitorais do país, mas por todo os países do nosso continente latino-americano”.
Para Rafael Rosa, diretor do Jornal O Portão, "a imprensa comunitária, como os jornais de bairros, está atenta aos serviços prestados pelos órgãos públicos, e ficamos felizes em constatar uma prestação de serviços exemplar e elogiável por parte do TRE do Paraná".
Segundo o diretor do jornal do Centro Cívico, Maurício Grabowski, “existe uma filosofia de trabalho sério e eficiente de algumas décadas na adoção de práticas em gestão de qualidade, que apresenta os melhores resultados em todo o país”.
Em 1991 Rogério Coelho foi convocado para ser juiz substituto no Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) e foi promovido ao cargo de desembargador em dezembro de 2004. Quatro anos depois, entrou na corregedoria do TJ-PR. Em 2010, após atuar como corregedor e vice-presidente, foi eleito presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR).



Fotos Everton B. Grabski