terça-feira, 26 de novembro de 2013

Pessuti abraça Beto Richa e reconhece que a crise do Estado é culpa de Jaime Lerner



Do alto de sua experiência como ex-governador, Orlando Pessuti jogou nas costas do ex-governador Jaime Lerner a culpa pela crise financeira que vive o Estado. Segundo ele, alguns motivos podem até ser culpa do governador Beto Richa, mas o principal “vem de longe”.
Para Pessuti, tudo começou quando Jaime Lerner vendeu o Banestado, ações da Copel e da Sanepar e recebeu, antecipadamente, os royalties de Itaipu.
Só para citar um exemplo, diz o ex-governador, o Estado paga, todo mês, aproximadamente 80 milhões de reais pelo empréstimo contraído para sanear o Banestado, antes de vendê-lo.
Isso multiplicado por 35 meses do governo Beto Richa, chegamos a um valor pago em torno de R$ 2, 8 bilhões. Somando-se a isso, o que já foi pago de dividendos das ações vendidas da Copel e da Sanepar, essa soma vai além dos R$ 3 bilhões Esses recursos saíram do caixa do governo estadual, atesta Pessuti.
Pessuti afirma que esta crise era “previsível”.
Quando votamos contra essas vendas, lá atrás no governo de Jaime Lerner, nós avisamos que um dia o Estado passaria por essa situação. Tardou, mas aconteceu e o resultado está aí, lamenta.

Associação Comercial envergonha memória do Paraná



O presidente da Associação Comercial do Paraná, Edson José Ramon, ficará para a história como autor do maior equívoco histórico e político do Paraná. Ele vai atribuir ao ex-governador Jaime Lerner no dia 2 de dezembro, no Clube Curitibano, a Comenda Barão do Serro Azul, a mais importante distinção daquela entidade.
Das duas, uma: ou Ramon não conhece a história do Paraná, ou está apenas fazendo politicagem.
O empresário Ildefonso Pereira Correia, o Barão do Serro Azul (fundador da ACP) é um dos heróis nacionais do Paraná. Dedicou sua vida à proteção da cidade durante a Revolução Federalista, impedindo que Curitiba fosse saqueada, e depois foi fuzilado na Serra do Mar. Ele foi o maior exportador de erva-mate do mundo. Era o homem mais rico do Paraná, na época, e investia do próprio bolso para fortalecer o comércio e a produção de bens locais.
Um homem dessa estirpe não tem nada que ver com políticos de triste memória.
Em setembro de 2011 o ex-governador do Paraná Jaime Lerner foi condenado a três anos e seis meses de detenção, mais multa, pelo crime de dispensa ilegal de licitação na construção de estradas. A decisão, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), também negou habeas corpus ao ex-governador.
Lerner foi condenado em razão de um aditivo contratual que estendeu a concessão obtida pela empresa “Caminhos do Paraná S/A” em 80 quilômetros, incluindo trechos da BR-476 e PR-427 não previstos na licitação original. A rodovia federal estava delegada ao Estado do Paraná por meio de convênio.
A defesa do ex-governador argumentou que, em razão de o réu ter mais de 70 anos, teria ocorrido prescrição. A denúncia do Ministério Público também seria nula por não descrever as condutas individuais dos acusados, impedindo o contraditório. Mas para o relator, ministro Jorge Mussi, a denúncia está de acordo com o crime previsto na Lei de Licitações e Contratos.
Graças ao ex-governador Jaime Lerner os paranaenses pagam os pedágios mais caros do país, e custeiam a maior roubalheira da história do Paraná: 19 bilhões de reais desviados com a quebra do Banestado. Até 2029 uma parte dos impostos dos paranaenses está comprometida para pagar a roubalheira do Banestado no governo Lerner.
Doleiros presos afirmaram que entregavam malas de dinheiro da corrupção ao homenageado pela ACP.
O presidente da Associação Comercial do Paraná acaba de cometer um erro histórico, cobrindo de vergonha uma entidade centenária.
Que vergonha...

José Gil

sábado, 23 de novembro de 2013

Os problemas de caixa do governo do Paraná



Nos últimos dias uma série de notícias contra o governador Beto Richa foram divulgadas pela grande imprensa financiada pelo governo petista (se cortarem anúncios do Banco do Brasil, Caixa Econômica, Petrobras entre outros, grande parte dos grandes meios de comunicação fecham as portas), como se não fosse de praxe o atraso de contas do governo estadual e prefeituras em final de ano, para pagamento do 13º salário do funcionalismo. Isso é algo que se repete ao longo das últimas décadas, em função da sanha arrecadadora do governo federal que retira dos estados a capacidade de endividamento e pagamento. No caso do Paraná, além do governo federal destinar poucos recursos, não retribui aquilo que o estado arrecada. O Paraná é o sexto estado que mais arrecada e o 26º no recebimento de recursos federais.
A quebra do Banestado no governo Lerner custou aos paranaenses 16 bilhões de reais, que estão sendo pagos até hoje, e pelos próximos 15 anos. Os políticos ladrões embolsaram o dinheiro e os paranaenses estão pagando a conta. É dinheiro que faz falta nos cofres públicos.
A dívida dos estados com a União compromete 15% da capacidade de endividamento do estado e se refletem também na Lei de Responsabilidade Fiscal. O Paraná devia R$ 5 bilhões. Já pagou R$ 10 bilhões e continua devendo outros R$ 9 bilhões. Os estados brasileiros deviam, em 2010, R$ 430 bilhões de uma dívida original que, em 1998, era de R$ 94 bilhões. Os estados já pagaram R$ 170 bilhões dessa dívida, quase 100% do valor original, mas ainda devemos R$ 430 bilhões. Isso significa que os estados têm comprometido de 11% a 15% de sua renda, com a agravante de que cada contrato é diferente. Em outras palavras, a União é um grande agiota que suga as riquezas dos estados e impede os investimentos em saúde, educação, habitação e segurança pública, entre outros.
As dificuldades de caixa do governo estadual são momentâneas e serão sanadas em breve, falou o governador Beto Richa, mas o que ele não disse é que este clima de caça às bruxas em alguns meios de comunicação é uma amostra do que vem pela frente em termos de campanha eleitoral no próximo ano.

Fernando Marques

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Ex-prefeito de Realeza e ex-assessor da Casa Civil do governo federal, contrata famoso advogado



Eduardo Gaievski, primeiro-assessor da ministra Gleisi Hoffmann, cotadíssimo para coordenar sua campanha ao Governo do Paraná pelo PT, preso pela acusação de pagar meninas pré-adolescentes para sessões de sexo, contratou um advogado famoso, Elias Mattar Assad. Assad tenta, na quinta, liberar seu cliente para passar Natal e fim de ano em casa, ao lado da família.

Ou de parte da família: seus irmãos Edmundo e Francisco foram presos preventivamente, acusados de pressionar testemunhas para obrigá-las a retirar suas denúncias.

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Comissão do Senado visita obras da Copa em Curitiba



Integrantes da Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização da Copa do Senado Federal estiveram, nesta segunda-feira (11), em Curitiba, para diligências junto às obras que estão sendo realizadas para a Copa do Mundo de 2014 e que ficarão como legado para a sociedade paranaense.

Os senadores Blairo Maggi, presidente da Comissão, e Sergio Souza, presidente da Subcomissão de Fiscalização das obras da Copa vieram acompanhados de técnicos e assessores do Senado, além de representantes do Tribunal de Contas da União. Também acompanharam a visita os gestores da Copa, Mario Celso Cunha (estado) e Reginaldo Cordeiro (município).

A visita começou pelas obras do estádio Joaquim Américo, do Clube Atlético Paranaense, e continuou na Rodoferroviária, Centro de Comando e Controle da Urbs, Viaduto Estaiado, Avenida das Torres, Alça da Avenida Salgado Filho e Aeroporto Internacional Afonso Pena.

No estádio da Arena a comitiva foi recepcionada pelo diretor de Marketing, Mauro Holzmann; na Rodoferroviária pelo presidente da Urbs, Roberto Gregório; no Viaduto Estaiado pelo secretário municipal de Obras Públicas, Sérgio Luiz Antoniasse; e no Aeroporto Internacional Afonso Pena pelo superintendente da Infraero, Antonio Pallu.

“A parte interna do estádio da Arena nos impressiona, pois a concretagem e a marcenaria estão prontas, incluindo o piso já sendo polido, os azulejos sendo colocados, bem como a fiação”. “É uma parte que as pessoas normalmente não vêm, mas que está bastante adiantada”, afirmou o senador Blairo Maggi. “Temos visitado as obras pelo Brasil e a Arena do Atlético está muito bonita”, completou.

Segundo o senador Sérgio Souza, “acredito que para o primeiro jogo-teste, na segunda quinzena de janeiro, o estádio estará apto a receber uma partida com as condições de avaliar a estrutura geral, como gramado, refletores, cobertura, vestiários e outros setores importantes”. “Este estádio ficará de referência para o Brasil e exemplo para as demais Cidades-sede da Copa 2014”, afirmou o senador.

Conforme o Coordenador Geral da Copa no Paraná, Mario Celso Cunha, “todas as obras, incluindo estádio, mobilidade urbana, viaduto e trincheiras e aeroporto, estarão prontas para a Copa do Mundo 2014”. “Vários órgãos de fiscalização estão acompanhando o andamento dos projetos, o que significa uma total transparência na execução destas obras”, finalizou Cunha.

O secretário municipal da Copa, Reginaldo Cordeiro, acredita que provavelmente a Arena chegará em dezembro, data fixada pela FIFA para a complementação do estádio, com cerca de 90% a 95% concluída. “O que vai faltar será o trabalho de acabamento que serão feitos no período que antecede o primeiro jogo-teste”, disse Cordeiro.

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Economia do Paraná é exemplo ao país, diz Serra



O ex-governador José Serra (PSDB-SP) disse hoje que economia paranaense é exemplo para o País, pois cresce acima da média e tem uma forte industrialização, enquanto os demais estados sofrem com a falta de investimentos privados. “Se o Brasil crescesse no mesmo ritmo teria um cenário econômico muito melhor”, disse Serra a um grupo de empresários reunidos na ACP. O governador Beto Richa participou do encontro.

Serra criticou a desindustrialização do País, o Custo Brasil – citando as altas taxas de impostos às empresas –, e a falta de investimentos em infraestrutura. “O Brasil investe cerca de um terço da média do que os países emergentes investem em infraestrutura. Numa lista de 130 países, estamos entre os 10 que menos investem nesta área”, disse.

O tucano comparou a expectativa de crescimento paranaense e brasileira para este ano: 4% e 2%, respectivamente. “É um Estado voltado para frente. Se o Brasil inteiro fosse como o Paraná já estaria no clube dos países desenvolvidos”, reforçou. “É muito importante que não se mate esta galinha dos ovos de ouro, que é a economia paranaense, tanto na indústria como na agricultura”, disse.

Serra lembrou que o Paraná é o 5°. estado que mais contribui com a arrecadação à Federação e apenas o 23°. a receber investimentos federais. “É errado como princípio e como estratégia econômica, por que investimento aqui rende”, defendeu.

“O Paraná é o Estado que mais cresce na nação. Mas, precisamos eliminar os gargalos logísticos para continuar a crescer e o governo federal tem que realmente ajudar o nosso estado neste sentido, pois o Paraná muito contribui e pouco recebe”, afirmou o presidente da ACP, Edson Ramon.

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Comitê Organizador da Copa faz reunião em Curitiba



Os temas Segurança e Protocolo foram debatidos nesta quinta-feira (07) pelo Comitê Organizador Local – COL/FIFA, em reunião realizada no Palácio Iguaçu, em Curitiba, envolvendo as Forças de Segurança Pública e Defesa Nacional.

A Gerente Geral de Protocolo do COL, Lucia Amaral Peixoto, fez uma apresentação sobre os alinhamentos de acesso aos setores VIP e VVIP, além de tribuna de honra, credenciamento veicular e reconhecimento de percurso no estádio e seu entorno. “Estamos aprimorando os protocolos, com a experiência do sucesso que tivemos na Copa das Confederações. Este conceito nós vamos aplicar na Copa do Mundo 2014”, disse Lucia. “A Copa do Mundo é o maior evento que um país pode sediar. E trabalhar com qualidade e competência no atendimento a Chefes de Estado e autoridades é uma mostra da capacidade dos organizadores locais”, completou.

Outro tema importante foi a questão de Segurança Pública e Defesa Nacional, apresentado pelo Gerente Geral de Segurança do COL/FIFA, Hilário Medeiros. Foram esclarecidas as situações do planejamento estratégico, normatização para área de prevenção e combate a incêndios, batedores de escolta, stewards e definição do Perímetro de Segurança. “É importante fixar as dimensões e posicionamento nas instalações que serão ocupadas pelas equipes de Segurança Pública nos estádios, e aplicação de um novo modelo de segurança privada nos estádios de futebol”, disse Medeiros. Ele lembrou que até dezembro terá início um treinamento especial para os Stewards. “Devemos contar com cerca de 3 mil homens para atuar na segurança privada no estádio da Copa”, finalizou.

“Em Curitiba, as medidas de Segurança e Planejamento Operacional já estão sendo desenvolvidas, e à partir do dia 22 de maio de 2014 até o dia 03 de julho de 2014 serão aplicados todos os protocolos, testes e avaliações dentro do estádio da Arena”, informou o Coordenador Geral da Copa no Paraná, Mario Celso Cunha.

A reunião contou com a presença do chefe da Assessoria Especial para Grandes Eventos do Ministério da Defesa, General de Divisão Jamil Megid Júnior; do Brigadeiro de Infantaria Amílcar Andrade Bastos, do Comando da Aeronáutica; do gerente de Sede do COL, Mark Pinheiro; do presidente da Câmara Temática de Segurança e Justiça da secopa estadual, coronel PM Milton Isack Fadel Junior; e do gerente de Segurança da sede de Curitiba, Acef Said.

Também participaram da reunião os representantes dos seguintes órgãos: Polícia Militar, Polícia Civil, Polícia Científica, Polícia Federal, Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, Agência Brasileira de Inteligência (Abin-PR), Conselho de Segurança, Comissão Estadual de Segurança Pública e Defesa Civil para Grandes Eventos (Coesge-PR), Exército Brasileiro e Aeronáutica, além da equipe de Cerimonial do Governo do Estado e Gabinete do Governador.

Fotos: Heloisa Rego

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

CPI DO PEDÁGIO ouve diretor de duas concessionárias nesta terça-feira



A CPI DO PEDÁGIO ouvirá nesta terça-feira (05) o empresário Evandro Viana, diretor para a Região Sul da Ecocataratas e superintendente da Ecovia. As duas concessionárias foram citadas por várias vezes nas audiências públicas feitas em vários municípios paranaenses. O depoimento será prestado a partir das 9h, no Plenarinho da Assembleia Legislativa. “Estamos agora na fase de confrontar os depoimentos e verificar o que as concessionárias tem a dizer com relação a todas as denúncias levadas nas audiências públicas”, afirmou o deputado Nelson Luersen, presidente da CPI DO PEDÁGIO.

Na semana passada, a CPI ouviu dos depoimentos do diretor regional da Associação Brasileira das Concessionárias de Rodovias (ABCR), João Chiminazzo Neto e do diretor-presidente da Econorte, Hélio Ogama. A ABCR representa 55 empresas concessionárias em todo o Brasil, que atuam em nove estados. Chiminazzo, em seu depoimento, negou que tenham obras não executadas e previstas nos contratos. De acordo com ele, todas as empresas cumprem rigorosamente o cronograma de obras previsto no contrato com os devidos aditivos contratuais. Ele também alegou que as concessionárias não tem lucros abusivos com os contratos e, por est razão, todo e qualquer acordo precisa respeitar os parâmetros iniciais de lucratividade. Ele admitiu que é possível uma redução de valores da tarifa do pedágio e retoma de algumas obras, no entanto alegou que o assunto já está sendo discutido com o governo do Estado.

Já Ogama justificou a transferência da Praça de Pedágio de Andirá para Jacarezinho dizendo que a transação é legal e está contida no aditivo 34 assinado em 2002 como compensação pela incorporação de 51,6 quilômetros da BR-153 e 14,3 quilômetros da PR-090. Estes trechos foram incorporados ao contrato da Econorte através de um pedido feito pela Associação dos Municípios do Norte Pioneiro (Amunorpi) e foram os pontos mais polêmicos da Audiência Pública feita em Jacarezinho, no Norte Pioneiro.

O presidente da CPI do Pedágio, Nelson Luersen, apresentou números que demonstram que na praça de pedágio de Jacarezinho o lucro da Econorte aumentou 1000% entre 2002 e 2012 – o que poderia ser analisado numa possível compensação ou reequilíbrio contratual. “Não tem como negar que a arrecadação subiu de forma assustadora nesta praça de pedágio”, disse Luersen. Nas outras praças administradas pela Econorte, a lucratividade teve evolução de 360% e 524% respectivamente. Ogama não contestou os dados apresentados por Luersen.

sábado, 2 de novembro de 2013

CHURCHILL COMO POUCOS O CONHECEM



Já me referi aqui a Winston Churchill, uma das figuras que mais se notabilizaram no século passado, sempre envolvido na política britânica por ocasião das duas Grandes Guerras Mundiais. Os meios de comunicação fizeram dele o grande estadista vencedor da Segunda Guerra, festejado e admirado.

Muita gente, entretanto, não conhece Churchill como RACISTA, EUGENISTA, GENOCIDA e até ANTISEMITA como se revelou nas seguintes citações:

“Não entendo a susceptibilidade em relação ao uso de gás. Eu sou fortemente a favor do uso de gás venenoso contra povos incivilizados.” (1919 – Churchill como Secretário de Estado para o Ar)

“É alarmante e causa náuseas ver Mr.Gandhi, um sedicioso advogado 'meia-boca', posando agora como um tipo de faquir bem conhecido no Oriente Médio, subindo seminu os degraus do palácio vice-real, enquanto ainda continua a organizar e conduzir campanha de desobediência civil, parlamentando em termos iguais com o representante do Rei do Império.” (1931 – Churchill comentando o encontro de Gandhi com o Vice-Rei da Índia)

“Eu não concordo (...)que um grande mal tenha sido feito aos índios vermelhos da América, ou ao povo negro da Austrália (…) pelo fato de uma raça mais forte, uma raça mais graduada(...) tenha vindo para tomar o seu lugar.” (1937 – Churchill à Comissão Real da Palestina)

“O rápido, constante e absurdo crescimento dos fracos mentais e das classes insanas, aliado, como está, a uma permanente restrição entre as classes parcimoniosas, fortes e superiores, constitui um perigo nacional e racial impossível de exagerar. Eu sinto que a fonte que alimenta esse rio de loucura deve ser cortada e selada antes que mais um ano tenha passado.” (1910 – Churchill ao 1ºministro Asquith)

“A gente pode não gostar do sistema de Hitler, nem admirar o seu êxito patriótico. Se o nosso país for derrotado, eu espero que possamos achar um campeão igualmente admirável capaz de restaurar nossa coragem e de nos conduzir de volta ao nosso lugar no seio das nações.” (1937 – Churchill em Grandes Contemporâneos)

“Vocês são gente sem sentimento que quer arruinar a Europa – vocês não se importam com o futuro da Europa, vocês só têm seus próprios e miseráveis interesses em mente.” (Outubro de 1944 – Churchill aos integrantes do governo polonês em exílio)

E finalizando traduzo um trecho de um artigo que Churchill publicou no ILLUSTRATED SUNDAY HERALD e 8/2/1920. Neste artigo Churchill analisa os Judeus, chegando à conclusão de que existem os bons e os maus. Entre os primeiros ele relaciona aqueles que se integraram nos países em que passaram a viver. Dos segundos fazem parte os que ele até mesmo classifica de terroristas, dizendo do papel fundamental que representaram na criação do bolchevismo. Fariam parte de uma confederação sinistra e Churchill continua textualmente:

“(...)Este movimento entre os judeus não é novo. Desde os dias de Spartacus-Weishaupt aos de Karl Marx, e até Trotsky (Rússia), Bela Kun (Hungria), Rosa Luxemburg (Alemanha) e Emma Goldman (Estados Unidos), essa conspiração mundial para a derrubada da civilização e para a reconstituição da sociedade sobre a base de um desenvolvimento contido, é de uma malevolência invejosa e sem igual, tem vindo a crescer de forma constante. Foi a mola principal de todo movimento subversivo durante o século XIX; e agora, finalmente, este bando de personalidades extraordinárias do submundo das grandes cidades da Europa e dos Estados Unidos acaba de pegar o povo russo pelos cabelos e tornou-se praticamente dono incontestável deste enorme império. (…) Com a notável exceção de Lenin, a maioria das principais figuras são judeus. Além disso, a principal inspiração e força motriz vem dos líderes judeus. Assim Tchitcherin, um russo puro, é suplantado por Litvinoff, seu subordinado nominal, e a influência de russos como Bukharin ou Lunacharski não pode ser comparada ao poder de Trotsky ou de Zinovieff, o ditador da Cidade Vermelha (Petrogrado) ou de Krassin ou Radek – todos judeus. Nas instituições soviéticas a predominância dos judeus é ainda mais surpreendente. A importante, senão mesmo a principal, parte do sistema de terrorismo aplicada pela Comissão Extraordinária de Combate à Contra-Revolução, foi executada pelos judeus. Em alguns casos por judaizados notáveis. O mesmo destaque perverso foi obtido pelos judeus no breve período de terror durante o qual Bela Kun governou a Hungria. O mesmo fenômeno ocorreu na Alemanha (especialmente Baviera), tanto que essa loucura permitiu saquear a prostração em que se encontrava o povo alemâo.(...)”

Aí deu para ver um Churchill diferente da figura que costuma nos ser apresentada. As primeiras citações eu as obtive do The Guardian (Londres) do dia 28 de novembro de 2002. Sobre o que Churchill falou dos judeus fui alertado por um video do Dr.William Pierce, que acaba de ser censurado e removido pelo youtube. Mas com um pouco de pesquisa a gente chega no artigo mencionado.

www.toedter.com.br