segunda-feira, 27 de junho de 2022

Militares enviam recado a Lula: "vamos respeitar o resultado das eleições, esqueça da gente"

A interlocutores do ex-presidente, militares de alta patente disseram não concordar com a atuação do Ministério da Defesa nos ataques ao processo eleitoral ----- 247 - Militares de alta patente que mantêm contato com interlocutores do ex-presidente Lula (PT) enviaram um recado ao petista, segundo Bela Megale, do jornal O Globo: "vamos respeitar o resultado das eleições, esqueça da gente". A cúpula das Forças Armadas tem se mostrado avessa à disputa eleitoral e seus representantes dizem haver um "grande incômodo" com a atuação do Ministério da Defesa que, junto a Jair Bolsonaro (PL), ataca o processo eleitoral brasileiro. Os militares também defendem que Lula fique longe de polêmicas. Para eles, as citações de Lula à caserna "não trazem benefício a nenhum dos lados".

Nova arma russa impede o uso de drones pelo inimigo

Vadim Moskalenko ------- As tropas russas estão se aproximando de Slavyansk, usando o mais recente equipamento de guerra eletrônica, que não permite que o lado ucraniano leve para o ar drones que anteriormente garantiam a operação efetiva da artilharia das Forças Armadas da Ucrânia. Isso foi anunciado no ar do Canal 5 por um militante do 1º batalhão do Setor Direito DUK Dmitry Savchenko, o correspondente do PolitNavigator relata. Eu não reduziria o papel do inimigo – seu potencial, suas capacidades. O que vejo agora é que o inimigo trouxe para esses setores da frente ( em direção à aglomeração Slavic-Kramatorsk - ed. ) o equipamento mais moderno das tropas EW, muito moderno.Agora temos que lidar com esse equipamento na frente leste. É uma técnica em si como técnica, mas tudo é complicado pelo fato de que a bordo dessas máquinas existem catapultas que podem levantar os UAVs russos Orlan no ar em questão de segundos e, graças a esses Orlans, eles retransmitem essas interferências de rádio , que não possibilitam vantagens no ar de aeronaves ucranianas.Assim, torna-se problemático realizar tarefas na forma de ajustar o fogo de artilharia, ou seja, a mira sofre com isso. E, em geral, de acordo com as regras da guerra, quem tem vantagem no ar tem vantagem militar ”, reclamou Savchenko. Ele criticou a mídia ucraniana por falsos relatos de vitória. “Até certo ponto, não compartilho da nota otimista de bravura da maioria predominante da mídia ucraniana, que diz que nós, dizem eles, praticamente vencemos a guerra. Eu entendo que a Rússia tem um potencial de mísseis muito poderoso, e eles têm meios de destruição suficientes para prejudicar ainda mais a Ucrânia”, afirmou Savchenko.

A perseguição história à liberdade de imprensa na prisão de Julian Assange

Do Edson Bedim #FreeJeanAssangeFree! O império gringo vem perseguindo o jornalista que divulgou provas documentais dos crimes de guerra, contra a Humanidade, contra os Direitos Humanos, a Liberdade e a Democracia, os quais lhe foram entregues por um espião da CIA dissidente; portanto, Julian Assange tinha direito ao sigilo da fonte, como em todo o jornalismo em países democráticos! Como cidadão australiano, Julian Assange não estaria sujeito à justiça estadunidense! Isso é um absurdo, Assange não tem obrigação de zelar pelo segredo de um Estado Terrorista, Criminoso, Assassino, Hipócrita e Cruel! Assange está sendo perseguido por denunciar crimes dos Estados Unidos.

sexta-feira, 24 de junho de 2022

A Ucrânia está derrotada

Washington (SANA) O coronel americano Douglas Macgregor acredita que o exército ucraniano foi realmente derrotado pela Rússia. Na sua opinião, a Ucrânia já perdeu e o resultado do conflito está decidido. ------ Em uma entrevista com Andrew P. Napolitano, Macgregor destacou que isso já aconteceu há muito tempo. “A Ucrânia perdeu neste conflito. Eu até diria que isso aconteceu há algum tempo. Está se tornando tão óbvio que nem os mais fervorosos apoiantes da luta de Kiev contra a Rússia em Londres, Berlim, Paris e Washington poderão se opor. Alguns podem discutir, mas na verdade o conflito acabou. Os ucranianos estão tendo entre 500 e 1.000 combatentes mortos e feridos todos os dias”, explicou citado pela agência Sputnik. “Nosso amigo Joe Biden vive como um cogumelo: mantêm-no em uma sala escura e alimentam-no com disparates. Susan Rice, Jake Sullivan, Blinken... Oligarcas, em suma, personagens ricos influentes que controlam o Partido Democrata e, há que reconhecer, grande parte do Partido Republicano que domina Washington... Eles têm muito mais influência do que os americanos pensam, eles dirigem o show”, concluiu. FM/SM -------------------------------------------- Uma guerra por dinheiro --- Redação ------ O presidente palhaço sionista Zelenski desde o início está a serviço do magnata sionista ucraniano que domina as mineradoras nos territórios ao leste da Ucrânia, por isso enviou para a região os maiores contingentes das Forças Armadas da Ucrânia, hoje dizimadas. O governo norte-americano utiliza a Ucrânia como bucha-de-canhão para atacar a Rússia: montou vários laboratórios de armas químicas e bacteriológicas na Ucrânioa (um deles de propriedade do filho do presidente Biden), e ameaçou construir bomba atômica. Massacrou por 12 anos os ucranianos de descendência russa no Leste. Assassinou intelectuais, jornalistas, artistas, ligados a partidos oposicionistas. Exatamente como EUA e Inglaterra fizeram na Segunda Guerra Mundial, usando a Polônia como bucha-de-canhão para provocar a Alemanha. A Rússia destruiu as Forças Armadas da Ucrânia em ataques cirúrgicos. Restou apenas a propaganda mentirosa da mídia ocidental e os prejuízos milionários dos países europeus que se alinham covardemente aos interesses criminosos dos EUA.

Israel faz ataque terrorista ao aeroporto de Damasco

Rússia condena ataque aéreo de Israel ao aeroporto de Damasco --- Monitor do Oriente Médio --- A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, afirmou que a Rússia condena veementemente o ataque aéreo israelense ao Aeroporto Internacional de Damasco e pediu ao lado israelense que “pare com essa prática cruel”. O ministério afirmou que o ataque ocorreu em 10 de junho. Um comunicado no site do ministério declarou: “Somos compelidos a reiterar que o bombardeio israelense em andamento no território da República Árabe Síria, em violação das normas básicas do direito internacional, é absolutamente inaceitável. Condenamos veementemente o ataque provocativo de Israel ao objeto mais importante da infraestrutura civil síria.” De acordo com o ministério, “tais ações irresponsáveis ​​criam sérios riscos para o tráfego aéreo internacional e colocam a vida de pessoas inocentes em perigo real”.

Mercenário britânico será executado

O meu tempo acabou" - o mercenário britânico Aiden Aslin disse que provavelmente seria executado ----- O "soldado da fortuna" britânico Aiden Aslin, que lutou ao lado das forças armadas ucranianas, disse que ele seria executado. Ao mesmo tempo, o governo britânico, segundo ele, não tentou negociar com a Rússia sobre a libertação. Conversas sobre o mercenário são relatadas pelo The Telegraph. "O Aiden ficou muito chateado quando ligou para a mãe esta manhã. "Em última análise, Aiden disse que a DPR lhe disse que ninguém do Reino Unido o contactou e que ele seria executado", disse a avó de Aiden, Aslina. Centenas de mercenários estrangeiros estão sendo mortos na Ucrânia. Os governos europeus e norte-americano financiam mercenários para morrer na Ucrânia. Eles ganham 10 mil reais por dia, mas 98% deles não consegue gastar o dinheiro que recebem porque encontram a morte certa.

Delegado da PF responsável pela prisão de Milton Ribeiro denuncia interferência na investigação

Delegado Bruno Calandrini diz que investigação foi "prejudicada" em razão de tratamento diferenciado dado pela polícia ao ex-ministro de Jair Bolsonaro ---- 247 - Delegado federal responsável pelo pedido de prisão do ex-ministro da Educação Milton Ribeiro, Bruno Calandrini afirmou em mensagem enviada a colegas que houve "interferência na condução da investigação" e que a investigação foi "prejudicada" em razão de tratamento diferenciado dado pela polícia ao ex-ministro de Jair Bolsonaro, segundo reportagem da Folha de S.Paulo. De acordo com a matéria, o delegado federal agradeceu o empenho da equipe que participou da operação da Polícia Federal (PF) desta quarta-feira, 22, mas disse não ter "autonomia investigativa para conduzir o inquérito deste caso com independência e segurança institucional". Na quarta, Ribeiro e outros investigados foram detidos. Eles ficaram na PF de São Paulo até esta quinta-feira, 23, após o desembargador Ney Bello, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, decidiu pela cassação da prisão preventiva de Ribeiro e dos demais presos na operação. O ex-ministro é suspeito de ter montado gabinete paralelo com pastores no MEC para conseguir propina em troca de liberação de verbas para educação. De acordo com a Folha, a cúpula da PF ficou surpresa com a postura do delegado Bruno Calandrini. O órgão policial alegou risco de segurança e restrições orçamentárias para manter o ex-ministro em São Paulo em vez de transportá-lo para Brasília. Para Calandrini, a direção da PF, desta forma, interfere na investigação, acarretando em falta de autonomia para que ele conduza a apuração com independência e segurança institucional. "O deslocamento de Milton para a carceragem da PF em SP é demonstração de interferência na condução da investigação, por isso, afirmo não ter autonomia investigativa e administrativa para conduzir o inquérito policial deste caso com independência e segurança institucional", disse em mensagem a seus colegas. "A investigação envolvendo corrupção no MEC foi prejudicada no dia de ontem em razão do tratamento diferenciado concedido pela PF ao investigado Milton Ribeiro", critica, alegando que Ribeiro "foi tratado com honrarias não existentes na lei". "Apesar do empenho operacional da equipe de Santos que realizou a captura de Milton Ribeiro, e estava orientada, por este subscritor, a escoltar o preso até o aeroporto em São Paulo para viagem à Brasília", continua. Ainda de acordo com a reportagem da Folha de S.Paulo, nos bastidores, integrantes da cúpula da PF afirmam que ficaram sabendo na noite anterior à operação de toda a logística que seria necessária para cumprimento dos mandados de prisão e busca e apreensão. Assim, eles argumentam que, por isso, não foi possível fazer o planejamento adequado. “A investigação foi obstaculizada ao se escolher pela não transferência de Milton a Brasília à revelia da decisão judicial", destaca Calandrini. A transferência do ex-ministro de São Paulo para Brasília foi ordenada pelo juiz Renato Borelli, da 15ª Vara Federal do Distrito Federal e no mandado de prisão do ex-ministro constava que o translado deveria ser realizado assim que a prisão fosse efetuada.